2 de maio de 2019

VINGADORES: ULTIMATO

É difícil falar aqui desta obra sem dar "spoiler". A grande questão que fica é: Vingadores: Ultimato é, de fato, o último filme da franquia? Acredito que não. Talvez sim, para a sequência dos filmes "Vingadores", "Thor", "Capitão América" e "Homem de Ferro", mas já há produções prontas, em andamento ou prometidas para outros personagens que permeiam a obra. Guardiões da Galáxia 3 está confirmado (inclusive com a volta de James Gunn à direção), Homem-Aranha: Longe de Casa está pronto, há possibilidade do filme da Viúva Negra (???), Homem-Formiga deve ganhar um último filme e Pantera Negra, pelo sucesso de bilheteria e críticas, deve ganhar mais sequências; isso sem mencionar todas as produções paralelas (spin offs) para TV/Streaming, como as séries já existentes no mesmo Universo: Agente Carter, Agentes da S.H.I.E.L.D, e uma série sobre Gavião Arqueiro é uma possibilidade.

Sobre o filme, vou me ater no que importa, pois sobre detalhes técnicos, é senso comum que as produções da Marvel lideram, de longe, a qualidade em efeitos visuais, sonoros e sensibilidade para trilha sonora. O quero destacar aqui é o sentimento sobre o filme.

Vingadores: Ultimato é mais do que o encerramento de uma saga que começou com filme medíocre Hulk e ganhou o mundo com o primeiro Homem de Ferro; o longa (3h e 1min) metragem é uma homenagem a si mesmo. [ALERTA DE SPOILER] Com a viagem temporal que ocorre no filme, na tentativa de trazer todos de volta, os Vingadores remanescentes visitam momentos e lugares importantes em suas vidas em momentos importantes da saga ou de suas jornadas pessoais. Muitos deles resultam no fechamento de conflitos familiares, pois, acima de tudo, o filme é sobre amizade e família.

De toda a saga é o que tem o tom mais épico, tanto da jornada dos heróis, como na trilha sonora, mas, sobretudo, na batalha final (a la Senhor dos Anéis), com momentos muito especiais como o reencontro e o tão esperado abraço entre Tony Stark e seu protegido Peter Parker, o Capitão América sendo capaz de empunhar o Martelo de Thor (antes só o Visão tinha conseguido) e um momento exclusivo do empoderamento feminino em uma cena de ação só com as super-heroínas do filme, além do grande momento de chegada (e pequena participação) da Capitã Marvel. Um aviso: o maior Herói, o principal da saga e do filme, segue sendo o Homem de Ferro.

Uma obra emocionante de uma geração de atores que deixará saudade para muita gente.

Ah! E uma informação importante, o filme não tem cena pós-crédito. Segundo os diretores, não faria sentido se chamar "Ultimato" se tivesse uma brecha para outros filmes.

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog