26 de outubro de 2016

Festa da Salsicha

De uns tempos para cá ando sentindo muita falta de ver um filme de comédia que me faça rir até chorar dentro do cinema. O problema que não temos mais um Jim Carrey, ou até mesmo uma franquia hilariante que saiba arrastar multidões para o cinema e fazer do dia delas bem mais feliz. Contudo, há pequenos talentos como, por exemplo, Seth Rogen (Ligeiramente Grávidos e É O Fim) que uma vez ou outra surpreende com a sua veia cômica, tanto na atuação como na direção e é por trás das câmeras que ele cria Festa da Salsicha, uma das comédias mais insanas do ano.
Na realidade estamos diante de uma animação, onde os personagens são produtos comestíveis e que esperam serem comprados pelos humanos, ou Deuses como eles acreditam, para sim ganharem a paz no paraíso. Contudo Frank, uma salsicha que deseja se enfiar (ou transar) numa fatia de pão a todo custo, gradualmente descobre que não é bem assim como as coisas são. Aos poucos o protagonista, além de outros personagens cativantes, decide criar uma rebelião contra os humanos e terem o direito de livre arbítrio dentro do supermercado.
Falar muito sobre a trama seria estragar inúmeras surpresas que ocorrem no decorrer dela. O que eu posso dizer é que o filme não possui papas na língua em nenhum momento e sempre ouvimos através dos personagens inúmeros palavrões que até Deus dúvida. Fora isso, há piadas a torto e a direito, tirando sarro de crenças, religiões, raças, preconceito, homossexualismo e afins. Tudo isso moldado num filme, cujo traço  dos personagens é bem fofo, mas não tem nada de inocente em suas atitudes.
Não vão faltar logicamente pessoas criticando ferozmente o filme, principalmente vindo de pessoas que nem se prestaram a assistir a obra. Festa da Salsicha está mais voltado para pessoas que, mesmo tendo uma crença, vão assistir ao filme de uma forma descompromissada e de mente aberta. Se você tiver esse perfil, terá uma hora e meia de pura diversão e humor do qual irá fazer você chorar de rir.
Aliás, o filme a todo o momento presta homenagem a outros gêneros e fazendo referencias a grandes clássicos, que vão desde ET, Parque dos Dinossauros e O Exterminador do futuro. Embora sejam piadas, por vezes, dispensáveis, elas fazem alegria do cinéfilo e como sátiras andam em falta atualmente no cinema americano, essas referencias, ou até mesmo piadas, acabam sendo muito bem vinda aos nossos olhos. Falando em referencias, o filme tira até mesmo um maior sarro dos filmes musicais da Disney, onde acaba sobrando para o próprio  gênero musical e fazendo alegria para aqueles que não suportam uma boa música dentro de um filme.
Com um final que rolará mortes, rock, drogas, sexo, orgia (isso mesmo que você leu) e muita piada das mais absurdas. Festa da Salsicha veio para animar essa alma que estava carente de boas risadas dentro de uma sala escura de cinema. 
 

Nenhum comentário:

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog