Parceria

22 de julho de 2016

CAÇA FANTASMAS



A internet é uma ferramenta indispensável nos dias de hoje, mas ao mesmo tempo ela quebra as expectativas em assistir determinados longas metragens, ou fazendo deles se tornarem negativos e antes mesmo de entrar em cartaz. Quando o primeiro trailer de Caça Fantasmas foi lançado, ele foi visto de uma forma negativa e muitos fãs do original de 1984 já começavam sepultando essa obra muito antes de vê-la. Passado a polêmica, e vendo o filme agora, se percebe que ele se tornou um exemplo do termo “não julgar o livro pela capa”.
Dirigido pelo eficiente diretor de comédias Paul Feig (Missão Madrinha de Casamento), o filme acompanha as tentativas Erin Gilbert (Kristen Wiig) em ser uma bem sucedida professora de uma universidade de Nova York. Porém, ela descobre que, sua amiga Abby Yates (Melissa McCarthy), publicou sem a sua autorização um livro em que ambas haviam escrito no passado sobre a possibilidade de fantasmas realmente existirem. Isso é o suficiente para gerar uma cadeia de eventos, dos quais fazem elas se unirem a uma cientista nerd Jillian Holtzmann (Kate McKinnon) e uma ex-funcionária de uma estação de trem Patty Tolan (Leslie Jones) a combater possíveis fenômenos paranormais que andam acontecendo na cidade.
Diferente do que muitos imaginam o filme não é uma refilmagem ou continuação, mas sim uma nova versão do mesmo tema, mas como uma história independente, da qual funciona sozinha e sem ter que obrigar a pessoa a ter que assistir aos filmes originais. O que me agradou ainda mais é do fato do roteiro abraçar a comédia pastelão e dando espaço para o desenvolvimento de cada uma das personagens do grupo. Com personalidades fortes e distintas, as personagens não devem em nada com relação as suas contra partes masculinas do filme original.
Claro que isso se deve muito as atrizes do ramo da comédia, sendo que algumas já haviam trabalhado com o próprio cineasta: indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante por Missão Madrinha de Casamento, Melissa McCarthy interpreta com eficácia a persistente Abby, fazendo de sua personagem uma espécie de contra parte da insegura, mas sonhadora Erin, interpretada de uma forma lúcida por Kristen Wiig. E se Leslie Jones nos diverte interpretando Patty, como uma espécie de entendedora de toda a cidade de Nova York, Kate McKinnon acaba roubando a cena ao interpretar de uma forma louca e intensa a sua personagem Jillian, pois mesmo ela estando ao fundo de uma determinada cena, é incrível como ela nos faz não deixar de prestar atenção nela. 
Mas se alma do filme pertence ao quarteto feminino, o coração pertence ao secretário delas chamado Kevin, interpretado de uma forma divertida e inesperada pelo ator Chris Hemsworth (o Thor da Marvel). O seu personagem na realidade seria uma espécie de sátira contra ao estereótipo que os homens haviam criado antigamente com relação às secretarias loiras, das quais sempre sofriam o preconceito por serem tachadas de burras. Hemsworth acaba então nos divertindo, em situações bobas, porém divertidas e protagonizando até mesmo momento chave do filme.
Pelo fato da comédia ser o verdadeiro chamariz da obra, as cenas de ação, principalmente aquelas que envolvem fantasmas criados por efeitos visuais, acabam meio que ficando em segundo plano. Porém, quando elas as acontecem se tornam eficazes, não para somente assustar, mas também para divertir e lembrando até mesmo algumas situações do filme 1984. Aliás, o filme está repleto de menções e símbolos prestando homenagem ao filme original, além da presença do elenco clássico em pequenas participações especiais, mas que infelizmente soam um tanto que dispensáveis. 
Com inúmeras cenas divertidas durante os créditos do final do filme, Caça Fantasmas é aquele tipo de longa metragem gostoso de assistir e para se divertir de uma forma descompromissada e sem nenhum preconceito em volta.    

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog