Parceria

22 de abril de 2015

VINGADORES: ERA DE ULTRON (2015)

Estivemos presentes na cabine de imprensa de Vingadores 2, em Porto Alegre e podemos dizer que vale a pena conferir na telona!

Imagino que alguns cinéfilos mais jovens talvez não irão gostar tanto deste filme quanto do primeiro Vingadores. Esta sequência, dentro do universo Marvel nos cinemas, é um dos mais maduros e dramáticos. É claro que há uma boa dose de humor, principalmente do sarcasmo de Tony Stark, a soberba de Thor, a sensualidade da Viúva Negra, o deboche do Gavião Arqueiro e a monstruosa sutileza do Hulk. O mais sério é o Capitão América neste filme, sendo responsável pela maior dramaticidade, como a "conciência" do grupo.

Neste longa, os Vingadores começam em uma missão contra a Hidra, em busca do cetro mágico de Loki. Logo eles descobrem que a Hidra buscava criar algo novo usando o poder do cetro, mas seu maior segredo eram os gêmeos Mercúrio e a Feiticeira Escarlate. Mercúrio é superveloz e a Feiticeira tem os poderes de telecinésia e de manipular a mente de outras pessoas, mostrando seus maiores medos. É assim que, no primeiro encontro com Tony Stark ela lhe revela o medo da sua responsabilidade em proteger o mundo.

Com o cetro em suas mãos, Tony Stark / Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) e Bruce Banner / Hulk (Mark Ruffalo) descobrem um grande poder, que supera os conhecimentos humanos sobre Inteligência Artificial, inclusive ao próprio Jarvis, programa criado por Stark para gerenciar sua legião de Homens de Ferro. Ainda traumatizado com os acontecimentos em Nova York (durante o primeiro filme) Stark quer usar este poder para criar Ultron, um supersistema que permita à humanidade se proteger contra uma invasão alienígena novamente. A problemática desta trama está justamente quando Ultron desperta e, como criação de Stark, ele assume parte de sua personalidade e entende que para haver paz na Terra é fundamental que os Vingadores não existam.

O filme trabalha muito com este paradoxo entre o bem e o mal sob certo ponto de vista. Stark quer a paz na Terra para que os Vingadores não precisem existir, enquanto Ultron (voz de James Spader) entende que para haver paz, primeiro não podem existir os Vingadores. É aqui que entra a liderança de Steve Rogers / Capitão América (Chris Evans) ao lembrar que, na história da humanidade, sempre que alguém quis acabar com uma guerra antes dela começar, inocentes morreram.

Desta vez os Vingadores lidam com um inimigo que não é máquina, nem humano e que, ainda assim, tem um pouco de ambas as naturezas. Para vencê-lo, eles precisam mais do que seus poderes individuais, precisam reaprender a trabalhar em conjunto e de novos aliados. É aí que surgem os novos Vingadores.

Todos tem importância fundamental para a trama, mas tudo gira ao redor, novamente, do Homem de Ferro, como personagem mais emblemático e até mesmo pelo grande talento de Downey Jr que ainda se destaca por demais em relação aos demais atores. Há um charme especial nas cenas com Scarlet Johanson (Viúva Negra) e Mark Ruffalo (Hulk), e o início do romance entre seus personagens. O curioso é ver que o Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) ganhou mais destaque neste filme, inclusive colocando um peso a mais de dramaticidade e humor que Chris Evans ou Chris Hemswoth (Thor).

Quantos ao demais detalhes, a trilha é boa, mas não é emblemática. Os efeitos visuais são espetaculares, mas achei o 3D descartável desta vez. Um dos grandes pontos dos efeitos é a briga de rua entre o Homem de Fero com sua super-armadura contra um Hulk enlouquecido.

Como de hábito, após os créditos há uma cena especial, dando gancho para um dos próximos filmes da Marvel. Muitos esperavam algo sobre o Homem-Aranha, mas não foi desta vez. O herói não foi nem mencionado em cena alguma. O personagem que aprece no fim é [spoiler] novamente Thanos, que já havia aparecido nos créditos finais do primeiro Vingadores. Ao longo de todo o filme (e dos outros filmes paralelos - Homem de Ferro 3; Capitão América 2; Thor 2) Thanos não é mencionado, mas na cena pós-créditos ele aparece dizendo que deverá resolver tudo por conta própria. E a Marvel já garantiu que haverá Vingadores 3. Agora só nos resta esperar. 

Vingadores 2: A Era de Ultron é um filme sobre a busca incessante do ser humano por harmonia, mas também sobre os horrores que somos capazes de fazer para conquistar esta paz. Confiram!


Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog