Parceria

9 de setembro de 2014

SOB A PELE (Under the Skin, 2013)

Depois do estranho Reencarnação e do ótimo Sexy Beast, o cineasta Jonathan Glazer volta ao mundo do cinema de maneira brilhante, para nos apresentar uma história imprevisível e diferente de tudo com relação a visitas de seres alienígenas na terra. É um longa bem diferente, mas que prende a nossa atenção do começo ao fim. É aquele tipo de filme que você sai do cinema e tem o desejo enorme de debatê-lo com alguém numa mesa de bar.

A protagonista, perambulando pelas ruas escuras, observa e analisa cada pessoa que ela encontra, para então depois devorá-la de uma forma pouco usual. É, na realidade, um típico filme de estrada, mas com ficção e terror que nos passa uma análise sobre a nossa própria natureza. Questões sobre o que é o ser humano são jogadas no nosso colo a cada instante durante o filme, mesmo nas formas mais subliminares.

Toda a nudez dos personagens vista em cena, por incrível que pareça, não choca, mas sim é necessária para o contesto da trama. Embora fria do começo ao fim, Scarlett Johansson apresenta aqui um dos seus melhores desempenhos, onde não se intimida nas cenas mais ousadas e consegue passar momentos de desejo em devorar as suas vitimas, como também quando começa a sentir certo apego por uma delas. É neste momento que o filme se aprofunda na questão da protagonista começar a se sentir mais humana, desejar se parecer mais com os humanos e fazer parte deste mundo.

A direção é surpreendente e nos faz lembrar os melhores momentos de Stanley Kubrick com seus filmes inesquecíveis. Belos movimentos de câmera criam apreensão a todo o momento, fazendo com que sentíssemos dentro da história. É claro que o público, em geral, irá assistir esse filme pelo fato de Scarlett Johansson aparecer nua em muitas partes do filme, mas o filme não cai num lugar comum devido a isso.

Com inúmeros mistérios e um final surpreendente, Sob A Pele pode até dividir a opinião de alguns, mas não deve nada para uma super produção de ficção científica, que por vezes, apresenta uma historia rasa.


Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog