Parceria

25 de junho de 2013

STAR TREK ALÉM DA ESCURIDÃO (Star Trek Into Darkness, 2013)

Com influência direta dos clássicos filmes da série Jornada nas Estrelas, Além da Escuridão cativa novas gerações de Trekers.

Apesar de fazer algumas referências ao filme de 2009, a nova jornada possui trama independente e é de fácil compreensão, mesmo para quem não assistiu ao primeiro. No resumo da ópera, nota-se um longa com muita adrenalina, dose certa de humor (sem a infantilização do primeiro) e uma trama bem amarrada pelo roteiro.

Desta vez, a tripulação da Enterprise encontra o mais terrível vilão que já enfrentaram em todo o universo de Jornada nas Estrelas, Khan (Benedict Cumberbatch). O terrorista geneticamente modificado, extremamente forte e astuto,  está em busca de destruir a sede da Federação e assassinar toda a capitania estelar, por um fim obscuro.

Com a morte do Capitão Pike (Bruce Greenwood), o jovem capitão James T. Kirk (Chris Pine) solicita permissão do Comandante Marcus (Peter Weller) para capturar o assassino de seu mentor em uma zona de conflito no espaço. Refugiado em uma região dominada pelos Klingons (inimigos da Federação), Kahn facilita sua captura, o que deixa Kirk e Spock (Zachary Quinto) intrigados. Além disso, esta ação pode se tornar o estopim para a guerra entre a Federação e os Klingons. O desfecho final e as artimanhas envolvidas no contexto são surpreendentes.

Apesar de todos os efeitos visuais espetaculares e uma excelente edição de som, há de se ponderar que a trilha sonora não é um diferencial. O que realmente chama atenção é o ritmo do filme, como se fosse um thriller policial.
Não há muito o que se destacar quanto às atuações, pois os atores estão bem centrados em seus personagens desde o primeiro filme. Na composição do grupo é que eu senti falta de um pouco mais da implicância clássica entre Spock e o Dr. McCoy (Karl Urban). Mas vale a obra pela inserção da Dra. Carol Marcus (Alice Eve) que, na história clássica, vive um romance com Kirk, do qual têm um filh - David.
Preciso ainda destacar a bela homenagem, ainda que sutil, dos roteiristas à série clássica, a partir da cena em que Kirk e Spock declaram sua amizade incondicional um ao outro com o gesto de "vida longa e próspera", como na cena da morte de Spock em A Ira de Khan, de 1982.

Um filme empolgante e emocionante, assim como toda a saga de Jornada nas Estrelas conseguiu cativar todas as gerações ao longo de mais de 45 anos. Vale a pena! Confira o trailer abaixo.

4 de junho de 2013

UM MÊS DE JAZZ, ESPAÇONAVES, MONSTROS E ZUMBIS.

Resolvi novamente passar a peneira na enxurrada de filmes e mostrar o que, a meu ver, são os que possivelmente valham o investimento de ir ao Cinema neste mês. Vamos lá, sem frescura:
O Grande Gatsby, com Leonardo DiCaprio conta uma história fantástica e cheia de efeitos visuais baseado do clássico homônimo de F. Scott Fitzgerald. O filme se centraliza da história amorosa do excêntrico milionário Jay Gatsby e Daisy Buchanan durante a era do Jazz (1922). Mas não se trata de um remake do clássico de 1974, com Robert Redford, apesar de que fãs mais ávidos possam perceber uma forte fonte de inspiração.
Além da Escuridão, traz de volta a tripulação da Enterprise na sequência da versão mais moderna de Jornada Nas Estrelas. Nesta aventura eles irão enfrentar um vilão tão poderoso que deve fazer frente à “A Ira de Khan”, destruindo tudo o que vê pela frente e desta vez é na Terra. A direção ficou a cargo de J. J. Abrams que caprichou nos efeitos visuais e sonoros.
Não só crianças devem se divertir com Universidade Monstros, mas também os jovens adultos que cresceram na expectativa de rever os monstrinhos Sulley e Mike Wazowsky, de Mostros S.A. (de 2001). A nova aventura é um prelúdio ao primeiro filme, mostrando como eles se tornaram amigos durante a faculdade. O longa da Disney traz novamente as vozes de John Goodman e Billy Crystal, prometendo boas gargalhadas.
Por fim, a coisa deve ficar séria (e feia) com Guerra Mundial Z, onde Brad Pitt é um representante da ONU que viaja pelo mundo em uma corrida contra o tempo para impedir devastação da humanidade por zumbis. A grandiosa produção e a direção de Marc Forster prometem um dos melhores do ano.

O resto é passível de esperar um pouco mais. Façam suas escolhas e divirtam-se!

Até a próxima!

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog