Parceria

22 de agosto de 2011

SUPER 8 (2011)

J.J. Abrams faz jus à parceria com Steven Spielberg: mistura a paixão por fazer filmes com fixação em alienígenas.

No verão de 1979, um grupo de pré-adolescentes está fazendo um filme amador, em super 8, sobre zumbis. Durante a gravação em uma estação de trem, à noite, eles testemunham um terrível acidente em que uma caminhonete se joga nos trilhos e destrói todo o trem. Após o "acidente", algumas pessoas e cachorros começam a desaparecer, motores de carro são roubados e a Força Área Americana, dona do trem destruído, mantém desinformada a população da pequena cidade de Lilian. Enquanto continuam a gravação do filme, as crianças descobrem que um extraterrestre fugiu daquele trem e é o responsável pelos desaparecimentos. Juntos, farão de tudo para salvar a menina do grupo, mocinha do seu filme, raptada pelo E.T.

Essa sinopse é apenas o pano de fundo do filme. O enredo central conta a história de como o jovem Joe Lamb (Joel Courtney), irá superar a morte da mãe, aprender a conviver com seu pai, Jackson Lamb (Kyle Chandler), o delegado da cidade, e ainda se apaixonar por Alice Dainard (Elle Fanning). Joe irá liderar seus amigos na maior aventura de suas vidas.

O longa lembra um pouco E.T.: o Extraterrestre (1982, de Spielberg), tanto na construção da história, como na própria fotografia. Desta vez, o E.T. não é muito bonzinho, mas o filme reforça alguns valores como amizade, amor e, principalmente, a mensagem sobre "fazer a coisa certa quando tudo está desmoronando à sua volta".
J.J. Abrams tem um currículo invejável como diretor e produtor. Suas principais experiências são com TV (ele participou em títulos como The Office, Lost, Alias e Fringe), mas tem trabalhos reconhecidos no cinema, principlamente em filmes mais comerciais (Armageddon, Star Trek, Missão Impossível 3). Apesar disso, o nome que chama atenção no cartaz do filme é o do produtor e, efetivamente, parece um filme de Steven Spielberg.

Os efeitos visuais e sonoros são muito bons e Abrams explora bem o suspense em suas cenas. Apesar de ser um filme com crianças, o roteiro tem as anedotas necessárias para a trama, mas não é infantil. No geral, eu achei bom e a obra deixa aquele gostinho de Sessão da Tarde.

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog