Parceria

30 de julho de 2011

VIPs (2010)


O filme é de 2010, chegou aos Cinemas no início deste ano e só agora eu consegui assistir. VIPs é uma história intrigante, empolgante e deixa um gostinho de "quero mais".

A história é baseada no livro de Mariana Caltabiano, de título homônimo, em que ela registra as diversas entrevistas que fez com o verdadeiro Marcelo Nascimento da Rocha. No filme, Marcelo (Wagner Moura) utiliza diversas identidades, às vezes, assumindo a de outras pessoas. Passando-se por traficante perigoso no Paraguai, até filho do dono da Gol, durante um Carnaval em Recife, ele aplica diversos golpes até se dar conta do seu problema de multi-personalidades e a dificuldade de aceitar quem realmente é. No fim, fica uma sensação de que a história não acabou. Quem assistir, preste atenção que uma frase de caminhão guia seu destino do início ao fim do filme: "Não é o touro que mata o toureiro, o toureiro é que se deixa matar".

O filme é uma ficção, baseada nos relatos do Marcelo verdadeiro, em que, muitas das situações que ele passou, foram descartadas, enquanto outras foram fielmente refeitas, como a entrevista que ele concede a Amaury Jr, interpretado por ele mesmo. A narrativa tem um bom ritmo e lembra um pouco o filme Prenda-me, se For Capaz (2002, de Steven Spielberg, com Tom Hanks e Leonardo Di Caprio), sobre Frank Abagnale Jr, só que, aqui, não há ninguém perseguindo-o.

A ótima direção de Toniko Melo comprova-se pela boa atuação do elenco, no geral, e a esplêndida versatilidade de Wagner Moura, por interpretar um personagem que interpreta diversos personagens. Realmente, o melhor ator brasileiro da atualidade.
Amaury Jr. e Wagner Moura
Marcelo Rocha e Amaury Jr.

Vale a pena conferir!




29 de julho de 2011

Estreias: Capitão América; O Casamento do meu Ex

CAPITÃO AMÉRICA: O Primeiro Vingador (Captain America: The First Avenger, 2011)

Steve Rogers (Chris Evans) vem de família pobre. Por ter a saúde frágil, seu sonho de fazer parte do exército americano se torna quase impossível, até que um general percebe sua dedicação. Assim, o general o convida para participar de uma experiência e se tornar um "supersoldado". Rogers não apenas fica saudável, porém mais forte e mais rápido que os demais soldados. É o início da carreira do Capitão América, líder dos Vingadores.

Assim, como os demais filmes da Marvel, este título vem para embasar o filme Os Vingadores, que irá estreiar em 2012. Para fãs dos quadrinho e de filmes de ação/aventura, pode ser uma boa pedida. Em breve publicaremos nossa crítica sobre o filme. A obra fica a cargo do diretor Joe Johnston (de O Lobisomem, 2010).



O CASAMENTO DO MEU EX (The Romantics, 2010)

Agora se você quer curtir uma comédia romântica com um drama bem popular para muitas pessoas, O Casamento do Meu Ex, pode ser uma boa pedida.

Na história, sete amigos de faculdade se reúnem novamente para o casamento à beira mar de dois deles. Laura (Katie Holmes) é a dama de honra e uma das melhores amigas da noiva, Lila (Anna Paquin). As duas têm uma coisa em comum: a paixão pelo noivo, Tom (Josh Duhamel). Durante os dias de preparo do casamento, as amizades e os noivados serão colocados à prova em um triângulo amoroso que começa a se formar.



Eaí, qual será a sua escolha?


28 de julho de 2011

Top 10 Atores Que Viraram Diretores

Então você é um mega-astro de Hollywood, um ator respeitado e consagrado, qual seu próximo passo? Bom, para muitos atores a resposta é: dirigir. Assumir a cadeira de diretor é algo que tem seu apelo a vários dos grandes astros do cinema, ainda que nem todos tenham um talento nato (Robert De Niro e Eddie Murphy não se saíram bem) alguns desses atores chegaram ao ponto de moldar a própria história do cinema:

10º Ben Stiller
 Stiller é um bom diretor em seu próprio meio. Decidido a ser competente em seu ofício de fazer rir mesmo que seja por trás das câmeras o diretor apresentou bons trabalhos tanto em "O Pentelho" quanto em "Trovão Tropical".


9º   Sean Penn
Penn dirigiu quatro filmes até hoje e se mostrou um diretor competente, ainda que suas habilidades como diretor nunca tenham sobrepujado sua capacidade como ator. Seus dois primeiros filmes se mostraram bastante interessantes, mesmo deixando evidentes indefinições de um diretor iniciante. Seus dois último filmes são dignos de nota e não desapontaram quem acreditou no amadurecimento de Penn como diretor. O suspense "A Promessa" é um filme com uma narrativa impecável e com uma atuação sólida de Jack Nicholson, algo que ele normalmente só apresenta nas mãos de bons diretores. Já "Na Natureza Selvagem" é um filme que torna acessível uma história real e complexa, sem simplificá-la.


8º Sylvester Stallone
Stallone dirigiu apenas a série Rocky (com exceção do primeiro e do quinto filme), o último Rambo, Os Mercenários e o sofrível Os Embalos de Sábado a Noite Continuam, mas ele merece reconhecimento por ter assumido a responsabilidade por seus próprios personagens icônicos. Ainda que nenhum desses filmes tenha sido reconhecido pela crítica, o talento de Stallone para ressuscitar as próprias franquias é inegável. Ele certamente ainda entende seu público quando assume a cadeira de diretor, além disso, quem mais conseguiria fazer um típico filme de ação dos anos 80 em 2010?


7º George Clooney
 Clooney dirigiu três filmes até o momento: "Confissões de Uma Mente Perigosa", "Boa Noite e Boa Sorte" e "O Amor Não Tem Regras". Os três são bons filmes mas "Boa Noite e Boa Sorte" é o que realmente mostra Clooney como um diretor de talento e personalidade. Controlando um elenco grande e heterogêneo, Clooney consegue grandes interpretações de um elenco consagrado, mas também inconstante.  


6º Ron Howard
Ron Howard se tornou tão famoso como diretor que poucos sabem que ele foi um ator mirim. Porém Howard cresceu e se tornou um diretor talentoso e reconhecido. Ainda que ele tenha nos dado bombas como "O Código DaVinci" e "Desaparecidas" ele já teve trabalhos de qualidade como "Cortina de Fogo", "Apollo 13", "Uma Mente Brilhante" e "Frost/Nixon".


5º  Ben Affleck
Affleck dirigiu apenas dois filmes até o momento, mas ambos sensacionais. O mais impressionante do trabalho do diretor novato são os estilos de filmes escolhidos. "Medo da Verdade"  é um neo-noir pesado e consistente que apresenta a mão de um diretor experiente e que poucos reconheceriam como a estreia de um ator na direção. Seu trabalho seguinte "Atração Perigosa" é um thriller com bastante ação mas que se preocupa bastante com o desenvolvimento dos personagens. Em ambos os filmes os atores receberam indicações ao Oscar por suas interpretações (Amy Ryan em Medo da Verdade e Jeremy Renner em Atração Perigosa).


4º Kevin Costner
Ainda que Costner tenha feito dois filmes extremamente ruins (Waterworld e O Mensageiro) ele também fez dois filmes incríveis: Pacto de Justiça e Dança com Lobos. Mesmo tendo seu currículo manchado, Costner provou que quando está inspirado é capaz de combinar uma mão firme por trás das câmeras e uma presença talentosa na frente delas.


3º Mel Gibson
Mel Gibson é completamente insano e isso pode ser comprovado sem problema algum em uma rápida pesquisa pela internet. Porém ele também é um grande diretor e tem um Oscar para provar. Ele teve uma estreia decente com O Homem Sem Face e se superou em Coração Valente, A Paixão de Cristo e Apocalypto.


2º Charles Chaplin
O ícone das telas também era um diretor prolífico e dirigiu todos os seus maiores sucessos. Ele é lembrado como um diretor perfeccionista e que costumava filmar centenas de takes até acertar a cena.


1º Clint Eastwood
Clint Eastwood poderia ter terminado sua carreira como um ícone das telas lembrado por suas performances marcantes em filmes diversos. Porém o bom e velho Clint decidiu que dirigir filmes também entraria em seu cúrriculo e ele começou com "Perversa Paixão", mas foi em "O Estranho Sem Nome" que Eastwood mostrou que tinha talento. Desde então ele nos presenteou com obras como: "Coração de Caçador", "Os Imperdoáveis", "Um Mundo Perfeito", "As Pontes de Madison", "Cowboys do Espaço", "Sobre Meninos e Lobos", "Menina de Ouro", "Cartas de Iwo Jima", "Gran Torino" e "Invictus". Eastwood foi indicado ao Oscar de melhor diretor quatro vezes ganhando por "Os Imperdoáveis" e por "Menina de Ouro".

23 de julho de 2011

Divulgados Trailer do Novo Homem-Aranha e de Sherlock Holmes 2

Foi divulgado oficialmente o trailer da nova aventura do aracnídeo intitulada "O Espetacular Homem-Aranha". Esse é um reboot da série e conta com Andrew Garfield (de A rede Social) no papel de Peter Parker.


A história do detetive mais famoso do mundo ganha continuação ainda pelas mãos do diretor Guy Ritchie. Robert Downey Jr e Jude Law seguem interpretando Holmes e Watson, agora enfrentando seu arqui-rival  o Professor Moriarty (Jared Harris). Também se junta ao elenco a atriz sueca Noomi Rapace, que ganhou a atenção internaconal por seu papel em "A Garota com a Tatuagem de Dragão". O título original é Sherlock Holmes: A Game of Shadows.





21 de julho de 2011

ASSALTO AO BANCO CENTRAL (2011)

Na noite passada, os gaúchos lotaram as salas da premiere de Assalto ao Banco Central. Em parceria com o Clube do Assinante Zero Hora, estivemos lá para conferir o novo filme do diretor Marcos Paulo. A recepção, organizada pela Espaço Z, foi realmente especial.

A obra é baseada em relatos do assalto ao Banco Central do Brasil, em Fortaleza (Ceará), em 2005. No filme, o “manda-chuva” é conhecido como Barão (Milhem Cortaz, de Tropa de Elite), que organiza o grupo que vai cavar um túnel de mais de 80 metros para roubar o Banco Central. Para isso, ele conta com a ajuda do Mineiro (Eriberto Leão), que acabou de sair da cadeia e é o seu braço direito na operação. Juntos, eles buscam um especialista em cavar túneis para fuga de cadeia, o Tatu (Gero Camilo), o engenheiro comunista "Doutor" (Tonico Pereira), mais 6 bandidos para cavar e fugir com a grana, além da sensual Carla, (Hermila Guedes), mulher do Barão. Paralela à história do assalto, se desenrola a investigação do assalto, feita por Chico Amorin (Lima Duarte) e Telma Monteiro (Giulia Gam). 

O filme tem, basicamente, 4 focos: o assalto, o conflito entre os criminosos, a investigação e o interrogatório. Tudo aparece simultaneamente, através de flashbacks. O filme demora se desenrolar até cerca de 30 minutos e acaba se tornando um pouco longo. Os atores se mostram relativamente presos a falas decoradas de roteiro, sem tanta naturalidade, sobressaindo a inexperiência de se fazer Cinema e/ou vícios de quem faz muita novela - tanto dos atores, como do diretor. A edição de som deixa a desejar em alguns momentos e a trilha sonora não é das mais bem aproveitadas. As cenas de sexo são totalmente desnecessárias. 

É interessante ver como o Novo Cinema Nacional começa a investir, além da temática da violência, em histórias com cara de blockbuster americano e, nesse quesito, o filme acerta no enredo. Há a trama do assalto; um triângulo amoroso entre Barão, Carla e Mineiro; as pitadas de humor dos bandidos coadjuvantes; o contraste entre o policial à moda antiga, Amorin, e sua parceira Telma, uma CDF da nova geração de policiais. 

Destaque para as atuações de Vinícius Oliveira (o Josué, de Central do Brasil), como o atrapalhado Devanildo, que consegue cativar o público com seu jeito inocente de cometer o maior assalto a banco do século; e do Juliano Cazarré, que fez a apresentação do filme nesta noite e interpreta, com destreza, Décio, o típico bandido que segue um código de conduta e honra entre criminosos. Cazarré, se mostra pronto para trabalhos maiores e mais desafiadores.

No geral, vale a pena o entretenimento de uma história que, na realidade, já parecia coisa de Cinema... e sem frescura.

_____________________________________________________________________________

Registro do evento:
Marcelo Machado, Tiago Peroni, Juliano Cazarré, Raquel e João Colombo (eu)*

Raquel e João Colombo (eu)*
Salas lotadas *

Juliano Cazarré *

* Fotos gentilmente cedidas pelo Uriel Gonçalves, do site Qual é a boa?




15 de julho de 2011

Harry Potter e As Relíquias da Morte - Parte 2

Enquanto escrevo esta crítica, uma legião de fãs está em salas de Cinema assistindo à pré-estreia de Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 2. Graças à parceria com o Clube do Assinante ZH, estivemos presentes na avant-première do filme, nesta quinta, às 21h e posso adiantar algumas coisas, sem estragar nenhuma surpresa. 

Como falei na crítica do filme anterior (a Parte 1), não li os livros, mas vi todos os filmes. Enquanto apreciador da cinegrafia da obra, posso dizer que este é um dos melhores títulos da série, ao contrário da primeira parte desta sétima história. David Yates parece ter acertado a mão e realmente deixou o melhor para o fim.

Nesta segunda parte, Harry Potter (Daniel Radcliffe), com a ajuda de seus fiéis amigos, Hermione (Emma Watson) e Ron Weasley (Rupert Grint), precisam encontrar e destruir as últimas horcruxes (coisas que contenham parte da alma de Voldemort). Somente assim eles podem destruir Lord Voldemort (Ralph Fiennes). O "Você-Sabe-Quem" agora tem a "varinha de todas as varinhas" e pretende usá-la para exterminar Harry e dominar tudo. No entanto, o desfecho da trama depende também da ação dos personagens secundários, como o Professor Snape e os amigos de Hogwarts.
O capítulo final tem um tom mais épico, como a grande batalha entre o bem e o mal. Além disso, a trama adolescente é colocada de lado, não há mais tensão sexual entre os personagens. Tudo se resolve e a ação ganha força, com ótimas pitadas de humor.

Enquanto havia destaque para atuação de Rupert Grint na primeira parte, dessa vez ele fica mais deslocado e o filme se foca precisamente no caso de Harry Potter e Voldemort. Assim, Radcliff consegue dar mais peso à trama, mas sem exagero. Ainda acho que o talento de Ralph Fiennes não foi tão bem aproveitado, mas todos os atores estão muito bem em seus papéis.
Enfim, podemos dizer que as aventuras do jovem Harry Potter chegam ao fim em bom tom e deve agradar muito aos fãs. Por falar nisso, preciso acrescentar que a atmosfera criada na "pré-pré-estreia" colaborou muito para apreciar o filme. Eram dezenas de pessoas vestidas a caráter, com as cores das turmas de Hogwarts (Sonserina, Grifinoria, Lufa Lufa e Corvinal), e não só crianças e adolescentes, mas adultos também. As reações eram espetaculares, beirando a histeria; qualquer coisa era motivo para gritos, aplausos e lágrimas. Os fãs mais jovens estavam com um sentimento de adeus, mas não compreendem que agora terão toda a obra, para o resto da vida.

Aproveito para parabenizar a Warner pelo ótimo trabalho de divulgação, assim como elogiar a organização da Espaço Z no espetáculo desta noite. Novamente a edição em 3D não faz diferença, mas vejam o filme, esse vale a pena!



13 de julho de 2011

Cinema Sem Frescura, 4 anos! AÇÃO!

É com muita satisfação que hoje comemoramos 4 anos da nossa primeira publicação.

Apesar de somente em julho de 2010 ter começado a trabalhar de forma mais ativa com o blog, foi numa sexta-feira, 13, que publiquei meu primeiro texto. Eu ainda estagiava pela UFRGS na Prefeitura Municipal de Canoas (RS) e lembro de ter passado na loja Back In Black para comprar uma camiseta do Aerosmith em função do Dia do Rock. Nessa época, a música ficava cada vez mais de lado na minha vida para dar lugar a outra paixão, filmes (ver, fazer e falar sobre).

A Faculdade de Comunicação da UFRGS foi um grande motivador desse tempo, onde tive 3 experiências que me levaram para esse caminho: As disciplinas de Fundamentos de Cinema (com a prof. Mirian Rossini) e História do Cinema (com o prof. Roger Bundt), além da gravação do curta O Funcionário (com os amigos Huanri Lin e Rafael Barfknecht). A partir daí eu decidi que queria me envolver cada vez mais com a área de produção audiovisual e cinema... mas é difícil, tendo que manter emprego, se formar e, ainda, querer casar.

O três primerios anos foram de poucas postagens e textos pouco críticos, mas naquele momento já havia definido que o blog seria colaborativo. E em 2009, meu amigo Eduardo Mendes me enviou uma crítica, o primeiro a publicar algo, além de mim. Mas, em 2010, quando tomei a atitude de querer falar ativamente de Cinema e conhecer novas pessoas, surge a Juliana Puccia, com ótimos textos e super interessada em ser a correspondente em São Paulo. Com ela, vieram, de arrasto, outros ótimos escritores: Diego Mercado, Hans Schults e Rainer Alves. Agora, em 2011, meu amigo Vinício Oliveira (do blog The Groovers), me concedeu a honra de tê-lo como colaborador oficial. Sem eles, o blog não seria o que é hoje.

Não posso deixar de agradecer a algumas pessoas que interagem constantemente com nosso blog, mandando textos, e com nosso twitter, comentando, respondendo e retwitando. Então, para os nossos fiéis seguidores, meu muito obrigado até aqui, em especial para: Raquel Selbach Machado Colombo (minha linda esposa), Felipe Tedesco, Huanri Lin, Mariana Pereira, Marcus Zecchini, Víctor Costa, Marcelo Jr., Sr. Fruc, Thales de Mendonça, Arthur Farias, Osi Nacimento, Bacalhaus, Julia Souto, Leonardo Centena, Rafael Seibel, Alexandre Arruda, Leandro Machado, Matheus Kurtz, Luís Maffini, Lucas Martins, Bárbara Souza, Renato Gaiarsa, Gerson Colombo, Karina Fröhlich e o Clube do Assinante Zero Hora, que nos apoia na participação das Premières, além da minha amiga Fátima Rama, responsável pelo layout e logo do blog.

Desculpe se esqueci de alguém, mas são tantas belas contribuições, que fica complicado lembrar de todos de cabeça...

Mais do que críticas de filmes, dicas de estreias e nossas criativas listas de Top 10, buscamos sempre, de forma modesta, prestar também serviços de utilidade pública, como a divulgação de cursos de cinema e audiovisual, além de ações que promovam o desenvolvimento cultural, como o acompanhamento e apoio a eventos.

E a vida continua. Hoje comemoramos uma marca, amanhã estaremos na avant-première de Harry Potter 7 - parte 2 e depois tem críticas e mais dicas.

Aos colaboradores, leitores, seguidores, familiares, amigos e parceiros, muito obrigado a todos e um feliz 4 anos para todo mundo! Não esqueçam de comemorar junto conosco, hoje, no Chalé da Praça XV, em Porto Alegre, às 18h30!

João Colombo
Editor-chefe do Cinema Sem Frescura

12 de julho de 2011

4 ANOS DE CINEMA, sem frescura

Amanhã, 13 de julho, nosso blog completa 4 anos! Para não passar em branco, vamos nos reunir para falar de Cinema, outras bobagens culturais e o que aconteceu nesses 4 anos.


O evento ocorrerá no Chalé da Praça XV, no Centro de Porto Alegre, às 18h30.


Você já faz parte dessa história, compareça!

Obs.: Cada um paga o que consumir; O blog ainda não teve receita para bancarmos festa para os outros.

: P

Confira o evento lá no Facebook!


11 de julho de 2011

Dorian Gray (2009)


"Dorian Gray" é a segunda adaptação da famosa obra literária de Oscar Wilde, O Retrato de Dorian Gray, tendo sua primeira adaptação em 1945.

A história se passa na Inglaterra Vitoriana, onde Dorian (Ben Barnes) possui uma beleza incomparável, atraindo o olhar de todos ao seu redor. Basil Hallward (Ben Chaplin) é um pintor que, fissurado por Dorian, pinta um perfeito retrato do garoto. Dorian decide trocar sua alma por sua beleza: enquanto ele permanece sempre jovem, seu retrato envelhece no seu lugar.

Mesmo tendo assegurado sua beleza pela eternidade, Dorian é uma pessoa insatisfeita e infeliz. Após a morte de sua primeira esposa, ele se torna promíscuo e amargo.

Apesar de não ser uma adaptação fiel à obra e nem à primeira adaptação, "Dorian Gray" traz o mesmo enfoque que o livro nos apresenta: a fragilidade humana, as consequências da corrupção moral e a obsessão.


A obra traz Collin Firth no elenco, mas os atores não são um exemplo de competência. As peças históricas, entretanto, como figurino e linguagem, estão de acordo com a época. Maquiagem e fotografia também não superam as expectativas.

Apesar de detalhes técnicos, a adaptação é agradável e faz valer a pena assistir, pelo menos, para conhecer essa história fantástica do Oliver Wilde.




8 de julho de 2011

Estreias: Cilada.com, Corações Perdidos, Ursinho Pooh.

Seguem nossas dicas de estreias dessa sexta. Nada melhor que um filminho nesse frio, né?


Cilada.com (2011)

Produção brasileira, traz no elenco Bruno Mazzeo e Fernanda Paes Leme.

Como vingança pela traição, a ex-namorada de Bruno coloca um vídeo na internet que acaba com sua reputação e, na esperança de recuperá-la, a reputação e a namorada, ele acaba entrando em várias ciladas.

Vocês já podem saber o que esperar pela crítica do filme feita pelo João Colombo, que foi à pré-estreia esta semana, veja aqui.






Corações Perdidos (Welcome to the Rileys, 2010)

Dirigido por Jake Scott, traz no elenco Kristen Stewart e Melissa Leo. O casamento de Doug e Lois foi abalado por uma tragédia familiar e, conforme o tempo passa, eles se distanciam cada vez mais. Doug vai à uma convenção em Nova York e conhece Mallory, uma dançarina de um strip-club que ajuda o casal a se lembrar do motivo que os uniu no começo de tudo.

O filme é do ano passado, mas só chega agora às salas brasileiras. Você já pode adiantar as impressões, pela crítica do Diego Mercado (veja aqui).






O Ursinho Pooh (Winnie the Pooh, 2011)

Dirigido por Stephen J. Anderson e Don Hall, traz nesse longa de animação as vozes de Craig Ferguson e John Cleese.

Corujão reúne a turma para salvar Christopher Robin de uma cilada imaginária e acaba por agitar o dia de um ursinho que apenas quer mel.






Conta aí qual você vai escolher!

6 de julho de 2011

CILADA.COM (2011)

Não, não estou falando de A Cilada (The Art of War, 2000) com Wesley Snipes... longe disso, estou falando de Cilada.com. Nossa parceria com o Clube do Assinante Zero Hora tem garantido boa diversão, e nesse filme não foi diferente. Nesta terça-feira, estive na première, em Porto Alegre, e saí dando risadas.


Na comédia, inspirada no seriado Cilada, do Multishow, Bruno (Mazzeo), vive situações que podem ocorrer com qualquer um, mas de uma forma bem escrachada. Dessa vez, ele apronta e é pego traindo sua namorada, Fernanda (Paes Leme) que, por vingança, coloca na internet um vídeo da pior transa deles. O vídeo "queima o filme" de Bruno com todo mundo: as pessoas o reconhecem na rua, fazem piadas com ele o tempo todo e acaba famoso por seu "probleminha" de ejaculação precoce. Dividido entre recuperar sua reputação, manter o emprego e voltar com Fernanda, Bruno vai passar poucas e boas até descobrir a coisa certa a fazer.

A obra conta com a direção de José Alvarenga Jr (Os Normais 2, 2009) e a produção do experiente Augusto Casé. O roteiro ficou por conta do próprio Mazzeo, que tem ampla experiência nisso, ainda mais com seu humor, que realmente está no DNA da família. 

A atuação de Mazzeo surpreende. Independente de ser o personagem principal, ele concentra toda a cena em si e torna tudo cômico. O filme tem um forte apelo popular, como feito em Os Normais, e aproveita o aporte de comediantes e atores conhecidos do público geral, como Dani Calabresa, Serjão Loroza, Fabiula Nascimento e Carol Castro. Um bom elenco, mas que ficou amarrado a um roteiro previsível e cheio de clichês de chanchada, tipicamente brasileiros, com um toque de comédia romântica americana.

Os fãs da série da TV sentirão falta da interação que Bruno faz com o espectador. Isso, a meu ver, seria algo que não comprometeria o filme, pelo contrário, o tornaria mais cômico. No geral, Cilada.com garante ótimas gargalhadas.

1 de julho de 2011

Estreias: Transformers 3; Os Pinguins do Papai

Transformers: O Lado Oculto da Lua (Transformers: Dark of the Moon, 2011)

A grande atração deste fim de semana é o filme dos robôs mais bacanas do Cinema. Nesta 3ª aventura, dirigida por Michael Bay, os Autobots descobrem uma nave espacial de Cybertron que caiu no lado obscuro da lua e precisdam correr para investigar os segredos da nave antes que os Decepticons interfiram.

O elenco conta com Shia LaBeouf novamente protagonizando a frnaquia, além de Rosie Huntington-Whiteley, Josh Duhamel, John Turturro, Tyrese Gibson, Patrick Dempsey, Frances McDormand, John Malkovich, Kevin Dunn e Julie White, entre os mais conhecidos...






Os Pinguins do Papai (Mr. Popper's Penguins, 2011)

A nova comédia infantil do momento é dirigido por Mark Waters e traz Jim Carrey no seu melhor estilo de atuação. Pelo trailer, deve garantir boas risadas.

Baseado no livro de título homônimo de Richard e Florence Atwater, o filme conta a história de Tom Popper (Carrey), um homem de negócios totalmente sem noção do que fazer quando o assunto são as coisas importantes da vida, até o dia em que ele recebe seis pinguins como herança. Apesar de os pinguins transformarem seu chiquérrimo apartamento em Nova York em um parque de diversões de inverno e virarem a vida de Popper de cabeça para baixo, eles também lhe ensinam importantes lições sobre famílias e relacionamentos.

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog