Parceria

21 de junho de 2011

SUCKER PUNCH – MUNDO SURREAL (SUCKER PUNCH, 2011)

Hoje temos mais um texto do Víctor Costa. Ele nos apresenta a sua crítica a Sucker Punch, que estreiou no início deste ano nos Cinemas. Confiram:

Todos nós, no decorrer da nossa vida cinematográfica, já julgamos inúmeros filmes pela capa. Ele pode ter bons atores, uma história que pareça ser interessante e até uma direção comprovadamente competente, mas nós nos seguramos no preconceito e preferimos continuar olhando as prateleiras em busca de algo aparentemente melhor. Foi exatamente isso que aconteceu comigo e Sucker Punch – Mundo Surreal. De imediato posso afirmar: até no cinema o preconceito é negativo. Um filme de guerra surreal e psicológica, que possui o ar de submundo do filme Sin City e a sensualidade e musicalidade de Moulin Rouge; este longa, aparentemente pobre, mostra ser um dos êxitos menos comentados deste ano.

Uma garota chamada Baby Doll, após perder a mãe e matar a irmã caçula por acidente, é internada num manicômio só para garotas pelo seu padrasto, que faz um acerto com um dos enfermeiros para, de fato, enlouquecer a garota de uma vez, lobotomizando-a. Ela então conhece algumas internas e, passeando sempre pela realidade e pela fantasia dos seus sonhos que ela vive acordada, traça um plano de fuga, onde tanto ela como as "colegas" terão que conseguir alguns itens para colocar o plano em ação.
Acha que entendeu a sinopse do filme? Engana-se... Este longa é uma mistura de realidade e fantasia, onde só conseguimos entender a real dimensão e face lírica da história no final, onde tudo parece fazer sentido. Até lá você acompanha a ida e vinda das personagens para um mundo surreal onde a vibração e o arrepio serão fatores constantes em sua pele, te fazendo perguntar em alguns momentos: o que é real neste filme, afinal de contas? Não será difícil esperar até o fim para descobrir...

O diretor, Zack Snyder tem se mostrado competente em seus trabalhos. Desde o ridículo Madrugada dos Mortos (2004), até a animação inovadora e incrivelmente bela A Lenda dos Guardiões (2010), Zack vem evoluindo a cada novo filme, marcando sua filmografia de forma inovadora e moderna. Apaixonado por efeitos especiais, ele, assim como em 300, cria um mundo inimaginável neste novo filme, usando e abusando da criatividade. Com uma trilha-sonora que há muito tempo não ouço, uma fotografia digna de aplausos e com uma sensualidade suja, espremida das atrizes, o Snyder consegue nos proporcionar uma visita a um submundo que acerta em ser erótico e podre ao mesmo tempo.
Como todo filme que é julgado pela capa, Sucker Punch – Mundo Surreal não agradará a todos. Não possui atuações extremamente rebuscadas e também não faz questão de agradar. No entanto, é uma indicação certa aos amantes do Cinema, pois consegue misturar o sujo com o belo, o violento com o sublime, o erótico com o ingênuo, a sanidade com a loucura. E não é, justamente a possibilidade do impossível, que buscamos no cinema?

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog