Parceria

5 de maio de 2011

TOP 10 Charlie Sheen

Levando em consideração que Charlie Sheen dominou a mídia mundial no último mês resolvi fazer um Top 10 de melhores filmes nos quais o ator esteve. Mas, sejamos sinceros, Charlie nunca foi responsável por muitas obras boas fora da televisão. Porém o ator sempre teve a sorte de estar no momento certo e no local certo e, muitas vezes, foi acompanhado por boas atuações e histórias interessantes. Enquanto fazia a minha pesquisa me lembrei que ele esteve em alguns filmes menores, mas que eu sempre gostei. Charlie Sheen nunca foi um grande ator, mas também não poderíamos menosprezá-lo, afinal ninguém que tenha protagonizado dois dos melhores filmes de Oliver Stone pode ser chamado de mau ator. Charlie teve uma carreira de altos e baixos mas existem algumas pérolas pelo caminho. 

10º A Invasão (The Arrival, 1996)
Primo pobre de Independence Day, porém com um roteiro muito melhor, esse filme teve a ingrata missão de fazer sucesso logo após o filme de Emmerich estreiar no cinema. Obviamente não conseguiu, mas a sua história é muito boa e mistura uma ficção bem imaginada com uma mensagem ambientalista. Charlie Sheen tem uma interpretação inspirada e Ron Silver é o canastrão de sempre, o que vale mesmo aqui é a história.


9º Os Três Mosqueteiros (Three Musketeers, 1993)
Entre as centenas de versões do livro de Alexandre Dumas, essa é a minha favorita. Charlie Sheen, Kiefer Sutherland e Oliver Platt tem uma quimíca incrível na tela e dão vida a uma colorida e divertida versão de uma das histórias mais filmadas até hoje. Michael Wincott e Tim Curry conseguem interpretar os vilões de forma convincente e caricata ao mesmo tempo e Rebecca De Mornay traz uma intensidade bem vinda ao filme. Como detalhe adicional eu sempre achei que servia de prequel perfeita para "O Homem da Máscara de Ferro".


8º Comando Imbatível (Navy Seals, 1990)
Um dos grandes filmes de ação dos anos 90 que, infelizmente, nunca teve o reconhecimento merecido. Michael Biehn e Charlie Sheen comandam um elenco inspirado para um filme de ação que ainda contava com Bill Paxton e Dennis Haysbert. O filme, obviamente é influenciado pelo patriotismo da era Reagan, que deixou suas marcas incontestáveis no cinema (Rocky IV, alguém?). A história é meio boba e com um roteiro com tantos furos quanto balas disparadas no filme, mas é, sem dúvida nenhuma, de tirar o fôlego e com ação garantida.


7º Top Gang - Ases Muito Loucos (Hot Shots, 1991)
Top Gun havia sido uma febre e Jim Abrahams soube tirar o maior proveito disso ao realizar uma das mais engraçadas paródias dos anos 90. Charlie Sheen mostrou que seu lado cômico estava afiado ao dar vida ao protagonista, Topper Harley. Cary Elwes se sai muito bem ao antagonizar Sheen e parodiar o papel de Val Kilmer e Loyd Bridges quase rouba o filme no papel de Almirante Benson, que aparentemente tem quase todo o corpo substituido por algum ferimento em alguma guerra. Até mesmo Jon Cryer de "Two And a Half Men" já ensaiava com seu futuro parceiro de programa ao interpretar o completamente estrábico e desastrado piloto "Wash Out".


6º Top Gang 2 - A Missão (Hot Shots - Part Deux, 1993)
Uma das mais engraçadas sátiras de filmes que eu já assisti, Top Gang 2 conseguiu aquilo que é pretendido por todas as continuações e atingido por poucas: superar o original. Sheen segue a receita de "Apertem os Cintos o Piloto Sumiu" e interpreta o protagonista como se fosse um papel sério e arranca muitas risadas no caminho. As cenas clássicas são ínúmeras e dificilmente consigo definir o que é melhor no filme, Loyd Bridges como o presidente que enfrenta Saddam Hussein em um duelo que mistura Star Wars com Exterminador do Futuro e outras referências impagáveis, ou o sarro tirado de Rambo III na luta inicial ou ainda a famosa cena da galinha sendo utilizada como flecha. Um besteirol, sem dúvida, mas um besteirol que gera muitas gargalhadas. 


5º Fora da Jogada (Eight Men Out, 1988)
Esse filme trata de uma história real que realmente me chamou a atenção. Em 1919 o time de beisebol dos White Sox se envolveu em um grande escândalo ao ter vários de seus jogadores acusados de receberem propina e entregarem jogos. Além de ser uma visão bastante interessante sobre uma época em que contratos milionários não eram associados a jogadores famosos, é um bom filme, bem conduzido e atuado. O time ficou conhecido como The Black Sox e virou uma famosa história sobre trapacear no esporte. Ainda que o filme tenha seus deslizes, é interessante ver vários personagens com motivações diferentes sendo levados aos mesmos fins e o conflito que emerge de tal situação. Uma exceção em termos de interpretação para Charlie Sheen ele consegue se destacar mesmo em meio a um elenco numeroso e talentoso. 


4º Quero Ser John Malkovich (Being John Malkovich, 1999)
Ok, a aparição de Charlie Sheen como o amigo que aconselha John Malkovich é mínimia, mas o suficiente para que ele conste nos créditos do filme e isso me dá o direito de colocá-lo aqui nesse Top 10. Primeiro, esse é um dos filmes mais loucos de todos os tempos. Depois, tem um elenco com atuações brilhantes e que normalmente não entregam atuações tão inspiradas. Cameron Diaz e John Cusack normalmente ficam mais a vontade em grandes produções do que em um filme quase alternativo como esse. Por último, além de todas as qualidades do filme, foi aqui que a excelente atriz Catherine Keener (uma das minhas favoritas) foi apresentada ao mainstream mundial.


3º Rookie - Um Profissional do Perigo (The Rookie, 1990)
Um clássico filme da fase "policial durão" de Eastwood". Charlie Sheen faz o papel do parceiro novato do veterano policial de Eastwood. Absolutamente nada original, mas com certeza bem produzido. Raul Julia e Sonia Braga, como vilões, são um bônus bem-vindo ao filme. Sheen tem uma boa química com Eastwood e a dinâmica do policial veterano e ranzinza com o novato inseguro funciona bem. Um clássico do "Cinema em Casa" que tem uma das minhas frases favoritas de Eastwood antes de detonar a cabeça de Julia: "Deve haver umas cem razões para que eu não te estoure os miolos, mas agora nesse momento, eu não consigo pensar em nenhuma".


2º Wall Street - Poder e Cobiça (Wall Street, 1987)
Novamente Charlie Sheen tem sua presença apagada por um outro eficiente ator. Michael Douglas levou o Oscar de melhor ator para casa com o papel de Gordon Gekko. Charlie Sheen tem alguns momentos inspirados na pele de Bud Fox, principalmente quando divide a tela com Daryl Hannah e com seu pai Martin Sheen, mas ele é completamente obliterado, quando divide as atenções da câmera com Douglas. De qualquer maneira, um filme ótimo e cuja continuação, na qual Charlie Sheen faz uma pequena ponta, foi lançada a poucos meses.


1º Platoon (1986)
Oliver Stone sempre foi obcecado com a Guerra do Vietnã. "Nascido em 4 de Julho" e "Entre o Céu e a Terra" são bons exemplos disso, mas foi em Platoon que o cineasta deixou claro que tinha uma vantagem sobre os demais cineastas que tentavam retratar o conflito: ele havia estado lá. Charlie Sheen se sai bem como o jovem idealista que se alista no exército para combater os vietcongs. A interpretação de Sheen é boa, mas não consegue superar o espetáculo que Tom Berenger e Willem Dafoe dão na tela.
Postar um comentário

Poderá gostar também:

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog