Parceria

11 de abril de 2011

A MENTE QUE MENTE (The Great Buck Howard, 2008)

Sabe quando você vai ver um filme sem esperar muito dele e acaba se surpreendendo? Pois foi o que aconteu comigo ao assistir "O Grande Buck Howard". Prefiro me referir assim, traduzindo literalmente o nome do filme, do que o nome que deram aqui no Brasil... O filme fala da vida de um "mentalista", mas não critica ou enfatiza algum charlatanismo... o filme não é sobre isso.

A história é contada por Troy Gable (Colin Hanks), um rapaz forçado pelo seu pai (o próprio Tom Hanks) a estudar Direito e que resolve largar tudo para ser escritor. Após perceber que precisa de um emprego para pagar as contas, decide ver uma oferta para ser "assistente de celebridade". É quando ele conhece "O Grande" Buck Howard (John Malkovich), um ilusionista (advinho, não mágico) decadente que acredita ainda ser a mesma celebridade que havia sido nos anos 70. Troy encontra ali a oportunidade de uma grande experiência de vida, mesmo que se sujeitando aos desaforos de um artista excêntrico e em fim de carreira.

Quando Howard anuncia que tem um número inédito para seu show, encontra ali a grande chance de voltar ao topo, aparecendo em todos os canais de televisão, revistas e fazendo muitos shows, inclusive em Las Vegas. É quando Troy conhece Valerie (Emily Blunt), a assessora de imprensa de Howard com quem fica e inicia um romance durante a turnê.

John Malkovich é um dos melhores atores que conheço e seu toque de humor para o personagem foi fundamental para todo o filme. Colin Hanks é um novato, mas passa com confiança os anseios de um jovem sonhador. A breve participação de Tom Hanks (sim, pai de Colin) só contribui pelo simples fato de ser pai e filho na tela. O legal é que, por ser baseado na história do "Incrível Kreskin" (popular na América do Norte), o filme traz à tela algumas pessoas que já foram celebridade, como Michael Winslow (o Jones, de Loucademia de Polícia) e George Takei (o Sr. Sulu, de Jornada Nas Estrelas), entre muitos outros, interpretando a si mesmos.

Uma comédia dramática que garante boa diversão. A trilha sonora é ótima!

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog