Parceria

22 de março de 2011

Os Fuzileiros de Sharpe (Sharpe's Rifles, 1993)

Baseado na série de livros de Bernard Cornwell, As Crônicas de Sharpe, o primeiro filme da série, Os Fuzileiros de Sharpe (Sharpes Rifle’s), conta a história de Richard Sharpe (Sean Bean *-*), ao se tornar Tenente, quando salva o Tenente Wellesley (David Troughton) de um ataque dos franceses.

A história se passa na época da Guerra Peninsular, e Napoleão Bonaparte, no século XIX. O Tenente Sharpe recebe a missão de comandar fuzileiros de elite chamados de ‘Os Escolhidos’ para buscar um banqueiro que havia sumido, porém, Sharpe não é respeitado por seus subordinados e gera intrigas e brigas ao longo de todo o caminho, principalmente com um dos ‘Escolhidos’, Harper (Daragh O'Malley).

Ao passo que a história vai passando, eles enfrentam ataques de franceses em meio à guerra e, no meio de um desses ataques, eles acabam conhecendo os espanhóis Teresa (Assumpta Serna) e Vivar (Simón Andreu). Os dois juntam forças com Sharpe e pedem ajuda para chegar à uma cidade espanhola para que eles possam erguer uma bandeira que diz ter sido carrega pelo santo protetor da cidade e trazer de volta a esperança à seu povo. O que Sharpe não sabe é que a missão do banqueiro era uma mera desculpa para que ele ajudasse esses espanhóis a atingirem o seu objetivo, pois, como explicam, ele nunca iria para a guerra para defender uma crença.

É claro que, não é preciso dizer nada sobre a atuação do Sean Bean, como sempre, ele encarna o papel do personagem e atua como ele próprio fosse um fuzileiro do século XVIII, e a atuação dos demais personagens também não fica para trás nos elogios. Filmes mais antigos sempre dão a impressão de que as atuações são precárias, ainda mais com filmes pouco conhecidos, mas eu realmente fui surpreendida por esse.

Os efeitos também são ótimos para a época, deixam o filme sempre bonito visualmente e o roteiro e a história são empolgantes e não deixam você desgrudar os olhos da tela.

Um filme épico que eu recomendo que você assista antes de morrer.

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog