Parceria

28 de fevereiro de 2011

Vencedores do Oscar 2011

A noite do Academy Awards, apresentada por James Franco e Anne Hathaway, foi de poucas surpresas e de muitos realmente merecidos. Lindas homenagens e grande movimento e participação nas mídias sociais.

Abaixo está a lista de indicados ao Oscar. Os vencedores estão destacados.

ATOR

Colin Firth – O Discurso do Rei
James Franco – 127 Horas
Javier Bardem – Biutiful
Jeff Bridges – Bravura Indômita
Jesse Eisenberg – A Rede Social


ATOR COADJUVANTE

Christian Bale – O Vencedor
Geoffrey Rush – O Discurso do Rei
Jeremy Renner – Atração Perigosa
John Hawkes – Inverno da Alma
Mark Ruffalo – Minhas Mães e meu Pai


ATRIZ

Annette Bening – Minhas Mães e meu Pai
Jennifer Lawrence – Inverno da Alma
Michelle Williams – Blue Valentine
Natalie Portman – Cisne Negro
Nicole Kidman – Reencontrando a Felicidade


ATRIZ COADJUVANTE

Amy Adams – O Vencedor
Hailee Steinfeld – Bravura Indômita
Helena Bonham Carter – O Discurso do Rei
Jacki Weaver – Animal Kingdom
Melissa Leo – O Vencedor


LONGA ANIMADO

Como Treinar o Seu Dragão
O Mágico
Toy Story 3


DIREÇÃO DE ARTE

A Origem
Alice no País das Maravilhas
Bravura Indômita
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I
O Discurso do Rei


FOTOGRAFIA

A Origem
A Rede Social
Bravura Indômita
Cisne Negro
O Discurso do Rei


FIGURINO

Alice no País das Maravilhas
Bravura Indômita
I Am Love
O Discurso do Rei
The Tempest


DIRETOR

Darren Aronovsky – Cisne Negro
David Fincher – A Rede Social
David O. Russell – O Vencedor
Joel e Ethan Coen – Bravura Indômita
Tom Hooper – O Discurso do Rei


DOCUMENTÁRIO (LONGA)

Exit Through the Gift Shop
Gasland
Lixo Extraordinário
Restrepo
Trabalho Interno


DOCUMENTÁRIO (CURTA)

Killing in the Name
Poster Girl
Strangers no More
Sun Come Up
The Warriors of Qiugang


MONTAGEM

127 Horas
A Rede Social
Cisne Negro
O Vencedor
O Discurso do Rei


FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA

Biutiful
Dente Canino
Em um Mundo Melhor
Fora-da-Lei
Incendies


MAQUIAGEM

O Lobisomem
Caminho da Liberdade
Minha Versão para o Amor


TRILHA SONORA

A.R. Rahman – 127 Horas
Alexandre Desplat – O Discurso do Rei
Hans Zimmer – A Origem
John Powell – Como Treinar o seu Dragão
Trent Reznor e Atticus Ross – A Rede Social


CANÇÃO ORIGINAL

“Coming Home” – Country Strong
“I See the Light” – Enrolados
“If I Rise” – 127 Horas
We Belong Together – Toy Story 3


FILME

127 Horas
A Origem
A Rede Social
Bravura Indômita
Cisne Negro
Inverno da Alma
Minhas Mães e meu Pai
O Discurso do Rei
O Vencedor
Toy Story 3


CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO

Day & Night
Let’s Pollute
Madagascar, Carnet de Voyage
The Gruffalo
The Lost Thing


CURTA-METRAGEM

God of Love
Na Wewe
The Confession
The Crush
Wish 143


EDIÇÃO DE SOM

A Origem
Bravura Indômita
Incontrolável
Toy Story 3
Tron – O Legado


MIXAGEM DE SOM

A Origem
A Rede Social
Bravura Indômita
O Discurso do Rei
Salt


EFEITOS VISUAIS

A Origem
Além da Vida
Alice no País das Maravilhas
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I
Homem de Ferro 2


ROTEIRO ADAPTADO

127 Horas
A Rede Social
Bravura Indômita
Inverno da Alma
Toy Story 3


ROTEIRO ORIGINAL

A Origem
Another Year
Minhas Mães e meu Pai
O Discurso do Rei
O Vencedor
Os grandes vencedores foram A Origem e O Discurso do Rei, cada um com 4 Oscars. No entanto, O Discurso do Rei ganha maior destaque, por ter ganhado nas indicações mais importantes.

E aí, o que achou dessas premiações?

25 de fevereiro de 2011

ESTREIAS: Bruna Surfistinha; Justin Bieber 3D: Never Say Never; Desconhecido; Incêndios

BRUNA SURFISTINHA (2011)

DIRETOR: Marcus Baldini
ELENCO: Deborah Secco, Cássio Gabus Mendes, Cristina Lago, Drica Moraes dentre outros
GÊNERO: Drama


O filme conta a trajetória da garota de programa Raquel Pacheco (Secco), desde quando prestava "serviços internos" para seus colegas de escola, passeia pelas primeiras e mais "distintas" (Lê-se BIZARRAS) experiências sexuais da garota, grande parte relatadas por um blog pessoal que geraram dois livros a respeito (Muito bem vendidos, por sinal).

A publicidade deste filme vem a, pelo menos, dois anos: Até a escolha do papel principal parar nas mãos de Deborah Secco, muito já se comentava. O filme já foi lançado "Para VIP's" e exibido para uma plateia exclusiva, única e somente para tentar mensurar a recepção do público. Aqueles que falaram sobre, garantiram que o filme é pesado e avisam para que os "puritanos" passem longe da sala de cinema que a exibir. Mas hoje em dia, quem é puritano? Esse sim é um puta filme. Haha.




JUSTIN BIEBER 3D: NEVER SAY NEVER ("Justin Bieber 3D: Never Say Never", 2011)
DIRETOR: Jon Chu
ELENCO: Justin Bieber
GÊNERO: Documentário


Se antes você já o via em todos os cantos, pense de novo: O fenômeno teen, Justin Bieber, invade as telas de cinema para contar à sua legião de fãs a história que o transformou no sucesso meteórico de hoje em dia, indo desde os uploads de vídeos no YouTube até o encontro com Usher para assinar seu primeiro contrato profissional. Filme para fã.



DESCONHECIDO ("Unknown", 2011)
DIRETOR: Jaumme Colette Serra
ELENCO: Liam Neeson, January Jones, Diane Kruger, Frank Langella, Aidan Quinn e Bruno Ganz
GÊNERO: Suspense


O que você faria se fosse substituido em sua própria vida? É exatamente este sentimento que Dr. Martin Harris (Neeson) tem ao acordar do acidente e perceber que sua esposa (Jones) está casada com um homem (Quinn) que assumiu sua identidade. Sem nem pegar fôlego pela "novidade", começa um jogo repleto de mistérios e fuga para que o protagonista saiba dissernir o real do ilusório e o quão confiável esta sua sanidade. É um daqueles filmes que promete valer a pena!




INCÊNDIOS (Incedies, 2010)

DIRETOR: Denis Villeneuve
ELENCO: Lubna Azabal, Mélissa Désormeaux-Poulin, Maxim Gaudette
GÊNERO: Drama

Um dos últimos de 2010 a estreiar, ele é um dos fortes concorrente ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Veja a sinopse abaixo:

Ao lerem testamento da mãe, os gêmeos Simon e Jeanne descobrem que têm um irmão e que seu pai, que os dois pensavam estar morto, está vivo. Dentre muitos pedidos que a mãe deixou o último e mais importante é encontrar os dois e entregar-lhes as cartas fechadas que ela deixou.

24 de fevereiro de 2011

Top 10 - Filmes de Bandas

Filmes sobre banda sempre fizeram sucesso, entra os fãs e também os curiosos. É sempre interessante ver a história de como tudo aconteceu, ou o que aconteceu por causa da banda.

Fizemos uma pequena lista sobre os filmes mais divertidos que giram em torno de bandas e astros do rock.


Quase Famosos (Almost Famous, 2000)

No auge do cenário dorock dos anos70, Willian Miller (Patrick Fugit) consegue a chance de escrever uma história para a revista Rolling Stone sobre a banda Stillwater. Conforme ele se envolve com a banda e suas groupies, ele começa a fazer parte da história da vida dos integrantes, na banda e do cenário musical.




Cazuza, o tempo não para (2004)

O filme retrata a vida do compositor e cantor Cazuza desde quando começou a carreira, atuando na peça Pára-quedas do Coração, no Circo Voador, o sucesso com o Barão Vermelho pelo Brasil inteiro, e sua carreira solo até sua morte em 1990, em decorrência de complicações causadas pelo HIV.Recebeu 7 prêmios no Grande Prêmio Cinema Brasil: Melhor Filme, Melhor Ator (Daniel de Oliveira), Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Edição, Melhor Som, Melhor Trilha Sonora e Melhor Fotografia.



RockStar (RockStar, 2001)

Chris Coles (MarkWahlberg) é vendedor e cantor de sua banda preferida, o Steel Dragons. O então atualvocalista da banda de heavy metal Steel Dragons deixa a banda no meio do show, e é nesse momento que a vida de Chris muda por completo, quando ele é chamado para virar o novo vocalista.





Hysteria: A História de Def Leppard (Hysteria: The Def Leppard Story, 2001)

Hysteria mostra a meteórica ascensão do grupo inglês de heavy metal que fez muito sucesso na década de 80. Estrelado por Orlando Seale, como o vocalista Joe Elliot, eTat Whalley, como Rick Allen, Hysteria é ao mesmo tempo leve pelo glamour, e denso ao enfocar a garra com que o grupo manteve seu sonho de produzir rock and roll, apesar das adversidades que quase separaram os roqueiros:drogas, álcool e o acidente sofrido pelo baterista Rick Allen, que perdeu um braço num acidente de carro.



The Wonders - O SonhoNão Acabou (That Thing You Do!, 1996)

Em 1964, logo após os Estados Unidos serem "tomados" pelos Beatles, surge em uma pequenacidade da Pensilvânia os Oneders, mais tarde rebatizado pelo empresário como Wonders. Porém, às vésperas de uma apresentação de calouros, o baterista do grupo quebra o braço, o que faz com que, em cima da hora, um jovem infeliz (Tom Everett Scott) que trabalhava na loja de eletrodomésticos da família seja convidadopara substituí-lo. O jovem baterista, um aficionado de jazz, imprime durante a apresentação uma batida mais ritmada no que deveria ser uma balada, causando o descontentamento do vocalista e compositor do grupo (Johnathon Schaech). Mas seu instinto funcionou e a música se torna sucesso nacional, levando o grupo aos primeiros lugares da Billboard.



Tenacious D - Uma Dupla Infernal (Tenacious D, 2006)

JB (Jack Black) tem o grande sonho de se tornar um rockstar e foge de casa ainda criança para correr atrás dele e acaba conhecendo o charlatão KG (Kyle Glass) que promete ensiná-lo e virar um deus do rock. Porém, eles descobrem que o sucesso para se tornar um rockstar é possuir a Palheta do Destino e aí começa a divertida busca pelo objeto.




Febre de Juventude (I Wanna HoldYour Hand,1978)

A produção, assinada por Steven Spielberg e escrita pelos chapas Zemeckis e Bob Gale (time que faria a trilogia “De Volta para o Futuro”, alguns anos mais tarde), narra as peripécias de seis adolescentes de Nova Jersey, em 1964, fazendo de tudo para conseguir assistir ao vivo à estréia do quarteto de Liverpool em território norte-americano, no programa Ed Sullivan Show. Em meio à histeria generalizada de milhares de jovens, eles vivem aventuras em quartos de hotéis, elevadores e bastidores, sempre com a intenção de encontrar os ídolos.



The Runaways - Garotas do Rock (The Runaways, 2010)

A primeira banda de rock formada só por garotas, The Runaways. Conta a história sobre Joan Jett (Kirsten Stewart) e Cherie Currie (Dakota Fanning) se tornam a mais popular banda de glam rock dos anos 70.






Cadillac Records (Cadillac Records, 2008)

Este filme recria os anos 50 na gravadora Cadillac Records. Baseada na cidade de Chicago teve em seu catálogo lendas da música norte-americana, como Muddy Waters, Leonard Chess, Little Walter, Howlin' Wolf, Etta James e Chuck Berry. O filme acompanha suas conturbadas passagens pela gravadora.





Scott Pilgrim Contra o Mundo (Scott Pilgrim vs The World, 2010)

Scott Pilgrim (Michael Cera) tem uma decadente banda de rock chamada The Sex Bob Omb. Apesar de o filme girar em torno de música da banda e de outras bandas, a história principal é de que ele deve lutar contra 7 ex-namorados maléficos de seu atual amor, Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead). Esse filme pode ser incluso na categoria de bandas, HQ's e video-games rsrs.




O post de hoje foi feito por mim (Juliana) e pelo Hanns, o que você acharam?

23 de fevereiro de 2011

Favoritos ao Melhor do Oscar de 2011

Como muitos já sabem, nosso blog está em clima de "tapete vermelho" esta semana, em vista da entrega do prêmio máximo da 7ª arte: o Oscar. O evento ocorrerá no próximo domingo, dia 27 de fevereiro de 2011.

O prêmio da Academia Norte-Americana de Cinema é o evento mais cobiçado de todos os diretores, atores, produtores e demais envolvidos com Cinema em todo o mundo. Além disso, entre todas as indicações, o prêmio mais cobiçado sempre é o de Melhor Filme, pois dá mérito à toda a equipe que participou da produção do filme. Por isso, no post de hoje, abordaremos os indicados ao Oscar deste ano, quem tem mais chance de ganhar e porquê.

127 Horas é um do últimos lançados de 2010 e sua força está principalmente no nome do diretor Danny Boyle que faturou o Oscar em 2009 por Quem Quer Ser um Milionário. Apesar de receber boas críticas e algumas indicações importantes, o filme não conquistou grande massas e não é visto com um dos favoritos.

A Origem foi o primeiro grande filme de 2010 e levou multidões de curisos aos Cinemas para ver essa história fantástica. O roteiro é um dos mais bem escritos do Cinema e, juntamente com o peso do diretor Chris Nolan e efeitos visuais de altíssima qualidade, fazem dele um dos favoritos. A medíocre atuação de Di Caprio e o fato de ter sido um pouco esquecido ao longo do ano, podem lhe tirar essa vantagem.



A Rede Social é o queridinho da América e é um dos favoritos por isso. Há uma grande força envolvendo o próprio Facebook para que seja o grande vencedor. Roteiro, direção, montagem são os destaques, mas as demais indicações parecem ser exageradas, principalmente a de Jesse Eisenberg como melhor ator. Se depender de bom senso dos juízes da Academia, ele não leva. Sua vantagem é polítca, afinal, a vontade dos americanos sempre é ter um novo Cidadão Kane.

Bravura Indômita é o nome que justifica sua participação nessa lista. Inferior ao original de 1969, ele conta com um bom roteiro e boa atuação de Jeff Bridges, mas não tem o mesmo peso. Sua força é a articulação dos irmãos Coen que são bem relacionados em Hollywood, tanto que conseguiram dar a Javier Bardem o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, em 2008, por uma de suas piores atuações, bem como levaram o Oscar de Melhor Direção e Filme no mesmo ano (com o medíocre Onde Os Fracos Não Tem Vez).

Cisne Negro é um do favoritos pela forma como foi produzido e pelo peso da história. Mesmo com poucas indicações, o filme, como um todo, é realmente valioso, sobretudo a montagem, fotografia, arte e a atuação de Natalie Portman, em seu melhor papel.




Minhas Mães e meu Pai é o "patinho feio". Será grande surpresa se qualquer um dos dois ganhar. A história é interessante, é bem dirigidos, tem bons atores, mas só isso. Não emplacou como sucesso de bilheteria, tampouco "mexeu demais" com algum público que influencie definitivamente a decisão a favor pela Academia.



Inverno da Alma poderíamos simplesmente copiar o que colocamos sobre o filme anterior, não fosse o fato de ele ter ficado mais apagado ainda e deve ser o menos favorito de todos dessa lista. Apesar de ser um bom filme é uma produção independente e dificilmente será agraciado.

O Discurso do Rei é, provavelmente, o grande favorito do mundo todo. Muitos se deixam levar pela forma como Colin Firth cativou o público com sua brilhante atuação como o rei gago. Firth deve levar o Oscar de Melhor Ator e o filme tem muitos pontos positivos como a montagem, roteiro, arte, direção, trilha sonora. É realmente um dos favoritos. Seu "calcanhar de Aquiles" é o fato de ser uma produção britânica sobre uma história pouco interessante aos americanos.

O Vencedor é, na verdade, "o lutador" (como o próprio título em ingês diz). O filme é super bem dirigido e conta com excelentes atuações, o que deve render a Christian Bale o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante, mas a história, apesar de ser verídica, é pouco original e a academia dificilmente vai premiar outro "Rocky Balboa".



Toy Story 3 traz de volta alguns personagens que permeiam a infância dos novos adultos. A hitória é bem elaborada e o filme todo é bem produzido. É o favorito à Melhor Animação, o que já o torna um dos mais fracos como Melhor Filme. Não deve ser dessa vez que uma animação leva o prêmio máximo, seria uma enorme supresa.



Você pode não ter visto todos ainda, mas já deve ter ouvido falar um bocado sobre alguns. Nem todos são tão bons assim para merecem indicação e, o excesso de indicados pode sugerir o quão fraco foi 2010 em relação aos anteriores. Só para ilustrar, 2011 tem 10 indicados contra 5 em 2009, considerado um ano de bons filmes.

E você, já assistiu todos eles? Qual é o seu palpite?

22 de fevereiro de 2011

O RITUAL (The Rite, 2011)


Michael Kovak (Colin O'Donoghu) é aprendiz de um padre cético que nunca quis entrar para o celibato e questiona a fé, demônios e anjos.

Após 4 anos de estudo, ele desiste no final. Na hora de ir embora, um acidente acontece onde a vítima pede a bênção dele como padre. Vendo seu potencial, seu mentor, o Padre Matthew (Toby Jones) o convence a se inscrever num curso de exorcismo, pois chegou ao Vaticano mais de meio milhão de notícias sobre possessões demoníacas e querem implementar um padre exorcista em cada paróquia.

Ao aceitar o desafio, Michael parte para Roma para ter as aulas e conhece Angelina (Alice Braga), uma jornalista que acreditava que seu irmão estava possuído quando era criança. No decorrer das aulas, Michael se sente cada vez mais confuso e cada vez mais questiona sobre os exorcismos e a existência de demônios. Sendo assim, o professor do curso, Padre Xavier (Ciarán Hinds) apresenta o não tão ortodoxo padre exorcista Lucas (Anthony Hopkins) que, no primeiro dia, mostra uma garota grávida que está possuída e os poderes que o demônio podia exercer sobre ela. Mesmo assim, Michael continua cético e se pergunta se isso não é um caso para um psiquiatra.
No decorrer da história, o demônio quer provar sua existência para o noviço e conta que ele não escolheu as pessoas para serem possuídas, mas sim, escolheu Michael para por em prova sua fé e ganhar sua alma para o inferno.

Baseado em fatos, essa não é uma história inovadora sobre exorcismo, afinal, quantos filmes sobre possessão demoníaca não já não vimos por aí? O interessante é que eles sempre trazem a mesma mensagem: não se pode vencer o mal se não acreditarmos nele.

Um dos pontos fortes do filme são os diálogos impactantes que faz nós mesmos questionarmos sobre a nossa fé, ou a falta dela e o que pode trazer de bom ou ruim para nós.

O cenário é sombrio, combinando com a característica do filme. Como é baseado na realidade, não há aquelas cenas de cabeças girando e vômito de ‘sopa de ervilhas’ como diz o próprio exorcista, as cenas de ação são praticamente todas feitas pela menina grávida e, o último possuído no final, que não vou dizer quem é! Mas são cenas que impressionam e faz ficarem gravados na mente alguns detalhes dessas cenas.

As atuações de O'Donoghu e Alice Braga variam, uma hora é convincente e outra hora parece mesmo um texto decorado. Já Anthony Hopkins, não há o que dizer, a atuação dele sempre é excelente e, nesse filme, não foi diferente.

Por falar em Alice Braga, é uma atriz que está crescendo bem internacionalmente e podemos ver seu esforço comparando essa sua atuação com a de Eu Sou A Lenda, ao contracenar com Will Smith.

Como é de praxe, o diretor Mikael Håfström (de 1408) coloca humor no meio de cenas tensas, como um celular tocando no meio de um exorcismo, que, em minha opinião é o que peca, pois quebra o clima. É um bom filme sobre o gênero já bem conhecido, sem cenas absurdas, mas que impressionam.


21 de fevereiro de 2011

127 HORAS (127 Hours, 2010)

O diretor Danny Boyle já recebeu inúmeros elogios em seus trabalhos anteriores, que vão desde filmes de zumbis (Extermínio) a histórias de amor na Índia (Quem Quer Ser um Milionário). Em 127 Horas ele confirma ainda mais seu talento como diretor e nos conta uma história extraordinária sobre a determinação humana. O filme poderia facilmente se tornar um documentário no Discovery Channel sobre um homem preso embaixo de uma rocha que milagrosamente consegue sobreviver. Boyle, no entanto, transforma o roteiro em uma história marcante sobre a busca incansável pela sobrevivência.

O filme nos conta a história verídica de Aaron Ralston (James Franco), um alpinista arrogante cujo braço fica preso durante uma escalada nos canyons do estado de Utah. Sem perspectiva de ser salvo, ele precisa decidir entre a morte ou a luta pela vida.

A sinopse pode não parecer muita coisa, mas 127 Horas é uma das experiências mais incríveis e emocionantes que eu presenciei no cinema nos últimos tempos. Eu tinha dúvidas de que o diretor e a sua equipe conseguiriam superar o trabalho que fizeram em Quem Quer ser um Milionário, mas esse filme vai muito além. Por conta de toda a polêmica sobre "a cena", a maioria das pessoas vai saber como o filme termina antes mesmo de assistí-lo. Mas todos os fatos que ocorrem até a decisão difícil do alpinista são surpreendentes.



Desde o começo até os últimos instantes do filme, você sabe que está diante de uma história conduzida por diretor e ator realmente talentosos. Tudo na tela parece ter ritmo e vida próprios, seja na edição frenética, a fotografia rica e belíssima, a trilha sonora perfeita, o roteiro que nos faz refletir ou até mesmo o estilo geral do filme. Enquanto outros filmes dão pouca atenção para as pequenas coisas, Boyle e sua equipe criaram um filme cujos elementos complementam uns aos outros. No começo eu não acreditei no tempo curto do filme, mas eles conseguiram agregar tanta coisa e o filme tem um ritmo tão rápido, que você praticamente não tem tempo para respirar depois que o filme engrena.

127 Horas não é apenas um filme - é uma experiência. Ele gira em torno de uma atuação inacreditável, e assistir o James Franco encarnar o personagem é uma experiência e tanto. Eu fui ver o filme com uma expectativa alta, e saí muito satisfeito. A emoção da história é autêntica, e o filme transforma um fato verídico (que contado por si só não chamaria muita atenção) em algo capaz de nos fazer refletir sobre o sentido da vida.





18 de fevereiro de 2011

ESTREIAS: 127 Horas; Besouro Verde; Trabalho Interno

Esse final de semana temos só três dicas de estreias, mas que prometem! Confira!

127 Horas (127 Hours)

Baseado em fatos reais, o filme mostra a luta pela sobrevivência do alpinista Aron Ralston após a queda de um pedregulho numa garganta isolada em Utah.

Direção de Danny Boyle com James Franco, Amber Tamblyn e Kate Mara.







Besouro Verde (The Green Hornet)

O filme é baseado nas histórias do Besouro Verde, desde 1936 nos rádios, passando pelos quadrinhos e um seriado com Bruce Lee nos anos 60.

O Besouro é um milionário que combate o crime usando uma máscara juntamente com seu assistente Kato, expert em artes marciais.

Direção de Michel Gondry com Seth Rogen, Cameron Diaz e Jay Chou.




Trabalho Interno (Inside Job)

Narrado por Matt Damon, este documentário trata da crise ecônomica de 2008 que ainda afeta o mundo todo. Ele promete deixar muita gente "atônita e com ódio" por causa das ações dos "tubarões" de Wall Street que deixaram milhões de pessoas desempregadas e desabrigadas.







E aí, já escolheu o seu?


17 de fevereiro de 2011

TOP 10 FILMES SOBRE SONHOS

Algo muito estudado, mas pouco compreendido: SONHOS. Esse é o tema do Top 10 de hoje.
Deixem a imaginação fluir, e bons filmes!


10) A MORTE NOS SONHOS (Dreamscape, 1984)

Alex é um jovem paranormal que é recrutado por uma equipe médica por seus poderes de penetrar nos sonhos alheios e conseguir influir neles. Ele vai para um centro de pesquisas psíquicas e através de uma série de experiências, aperfeiçoa seu dom, que sem ele saber, tem como objetivo projetar-se no inconsciente do presidente dos EUA, deprimido por pesadelos sobre uma guerra nuclear. O jovem Alex travará uma batalha com outro paranormal com poderes similares aos seus quando descobre uma conspiração elaborada para induzir os sonhos do presidente.

Trailer




9) VANILLA SKY (2001)

Novo, bonito e rico, dono de um grande grupo editorial, David Aames, pode ter tudo quanto desejar. No entanto, a sua vida de luxúria parece incompleta. Uma noite, David conhece a mulher dos seus sonhos e acredita ter encontrado tudo o que lhe faltava. Mas um fatal encontro com a ciumenta amante, vira inesperadamente o seu mundo de pernas para o ar, atirando-o para uma vertiginosa viagem de romance, sexo, suspeião e sonhos.

Trailer







8) ALUCINAÇÕES DO PASSADO (Jacob's Ladder, 1990)

Jacob (Tim Robbins) é um ex-soldado no qual a Guerra do Vietnã deixou marcas profundas e irreversíveis. Constantemente Jacob vê seres estranhos ameaçando-o de morte, com suas lembranças do passado ao lado de sua família se misturando a alucinações desconexas de algo que aconteceu na guerra e que alterou radicalmente sua percepção da realidade. Contando apenas com o apoio de sua namorada Jezebel (Elizabeth Peña) e de seu amigo Louis (Danny Aiello), Jacob tenta descobrir a causa verdadeira de seus delírios.

Trailer



7) SONHANDO ACORDADO (La Science des Rêves, 2006)

Stephane Miroux (Gael García Bernal) vê seus sonhos invadirem constantemente a vida real. Quando dorme, se transforma no carismático apresentador do programa “Stephane TV”, explicando sua “ciência dos sonhos” na frente das câmeras de papelão. Na vida real, tem um trabalho chato numa editora de calendários em Paris. Ele flerta com a vizinha Stephanie (Charlotte Gainsbourg), mas a moça não está disposta a encarar alguém como ele. Guy (Alain Chabat), colega de trabalho de Stephane, até tenta ajudá-lo na conquista, mas nada funciona. Incapaz de chegar ao coração de Stephanie na vida real, Stephane procurará as respostas em seus sonhos.

Trailer


6) WAKING LIFE (2001)

O longa de animação Waking Life, de Richard Linklater, traz pessoas da vida real habitando os sonhos de um homem. O enredo gira em torno de um jovem que não consegue acordar de um sonho e tem longas conversas sobre os vários estados da consciência e discussões filosóficas e religiosas com os mais diversos personagens. Alguns deles são facilmente reconhecíveis, como o cineasta Steven Soderbergh e os atores Julie Delpy e Ethan Hawke.

Trailer






5) A HORA DO PESADELO (A Nightmare on Elm Street, 1984)

Um grupo de adolescentes tem pesadelos horríveis, onde são atacados por um homem deformado com garras de aço. Ele apenas aparece durante o sono e, para escapar, é preciso acordar. Os crimes vão ocorrendo seguidamente, até que se descobre que o ser misterioso é na verdade Freddy Krueger (Robert Englund), um homem que molestou crianças na rua Elm e que foi queimado vivo pela vizinhança. Agora Krueger pode retornar para se vingar daqueles que o mataram, através do sono.

Trailer






4) CIDADE DOS SONHOS (Mulholland Drive, 2001)

Um acidente automobilístico na estrada Mulholland Drive, em Los Angeles, dá início a uma complexa trama que envolve diversos personagens. Rita (Laura Harring) escapa da colisão, mas perde a memória e sai do local rastejando para se esconder em um edifício residencial que é administrado por Coco (Ann Miller). É nesse mesmo prédio que vai morar Betty (Naomi Watts), uma aspirante a atriz recém-chegada à cidade que conhece Rita e tenta ajudar a nova amiga a descobrir sua identidade. Em outra parte da cidade o cineasta Adam Kesher (Justin Theroux), após ser espancado pelo amante da esposa, é roubado pelos sinistros irmãos Castigliane.

Trailer



3) SONHOS (Akira Kurosawa's Dreams, 1990)

Mais do que histórias, Sonhos é um desfile de imagens maravilhosas. Dividido em oito capítulos - oito sonhos diferentes que dialogam entre si - o filme traz a peculiaridade contemplativa do cinema do Japão, a música característica e os figurinos exóticos aos olhos do ocidente. Lidando com medos e vontades subconscientes, o filme traz desde um passeio por entre pinturas do holandês Vincent Van Gogh até o recorrente pesadelo nacional com a radiação nuclear. A beleza da natureza e o horror de sua destruição, bem como tradições milenares, são os elementos que arremessavam Akira Kurosawa a níveis cada vez mais altos de criatividade.

Trailer



2) A ORIGEM (Inception, 2010)

Dom Cobb (Leonardo DiCaprio) é um habilidoso ladrão, o melhor na perigosa arte da extração, o roubo de valiosos segredos das profundezas do subconsciente durante os sonhos das pessoas, quando a mente fica totalmente vulnerável. Essa rara habilidade de Cobb fez dele um cobiçado jogador nesse traiçoeiro novo mundo da espionagem corporativa, mas também fez dele um fugitivo internacional que perdeu tudo o que mais amava. Agora, uma chance de redenção foi oferecida a Cobb. Um último trabalho pode trazer sua vida normal de volta, mas somente se ele conseguir o impossível – inserção. Ao invés de fazer o roubo perfeito, Cobb e sua equipe de especialistas têm que fazer o oposto: a missão não é roubar uma ideia, mas sim plantar uma ideia. Se eles obtiverem sucesso, pode ser o crime perfeito. Mas nem mesmo um plano cuidadoso poderia prepará-los para um perigoso inimigo que parece prever cada movimento deles. Um inimigo que somente Cobb poderia prever. / Trailer


1) BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, 2004)

O casal Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) durante anos tentou fazer com que o relacionamento desse certo. Desiludida com o fracasso, Clementine decide esquecer Joel para sempre e aceita se submeter a um tratamento experimental em que retira de sua memória todos os momentos que passou com ele. Após descobrir a atitude de Clementine, Joel entra em depressão por ainda estar paixonado por alguém que fez de tudo para esquecê-lo. Decidido a esquecê-la de vez, ele resolve se submeter ao mesmo tratamento, porém o tratamento não adianta e Joel decide encaixar Clementine em momentos de sua memória nos quais ela não estava.

Trailer

16 de fevereiro de 2011

BRAVURA INDÔMITA (True Grit, 2010)

É difícil fazer uma crítica sobre este filme sem comparar com a primeira versão de 1969. A primeira foi um marco na sua época e a de 2010 já não alavancou o mesmo sucesso. A história é basicamente a mesma, mudando alguns detalhes da narrativa.

Ao saber do assassinato do pai, a jovem Mattie Ross (Hailee Steinfeld), vai em busca de vingança conta o assassino Tom Chaney (Josh Brolin). Para isso, ela contrata Rooster Cogburn (Jeff Bridges), o agente federal mais valente da região. Enquanto tratam do pagamento ela recebe a visita de um Texas Ranger, o Sr. LaBoeuf (Matt Damon) que persegue Chaney já há 4 meses por ter assaninado um senador do Texas. Entre algumas divergências os três saem em busca de Chaney e o bando ao qual se junto, chefiado por Ned "Sortudo" Pepper (Barry Pepper). Logo no início se percebe que quem tem "bravura indômita" não é Cogburn ou LaBeouf, mas a própria garota, Srta. Ross que, além de resolver todos os negócios da família, vai em busca de vingança.

A fotografia do filme é bonita, como em quase todos os filmes western, mas não se compara à pintura que é a versão de 1969. O roteiro está bom e, vendo as duas versões, parece que a adaptação foi realmente bem fiel (muitos diálogos estão iguais), mas a primeira versão parece mais completa.

Matt Damon faz bem seu papel, tanto quanto Glen Campbell em 1969. Assim como Barry Pepper, mesmo sem ter a mesma importância para o Cinema quanto Robert Duvall, ocupa bem papel do líder Ned Pepper. Josh Brolin, como o vilão Tom Chaney, tem uma importância ainda menor nesta versão dos irmãos Coen do que Jeff Corey em 1969.

Jeff Bridges como Cogburn
A interpretação de Jeff Bridges como Cogburn eu diria que é até melhor do que a de John Wayne (que ganhou Oscar de Melhor Ator na época), mas tenho minhas dúvidas se ele levará a estatueta, em vista de já ter sido contemplado no ano passado e pelo massivo apoio que Colin Firth tem recebido de críticos pelo seu papel em "O Discurso do Rei".

A menina Hailee Steinfeld merece certo destaque, mas ainda a considero inferior à versão de Kim Darby. A Mattie Ross de 1969 era mais dramática e cometia infantilidades de acordo com sua idade. A de 2010 é do jeito que os irmão Coen gostam: fria, sem sentimentos, quase um robô.

Quanto à direção, bem, a versão de Henry Hathaway em 1969 é um clássico, enquanto eu sempre fico com um pé atrás nas produções dos irmãos Joel e Ethan Coen.

John Wayne em 1969
Para mim, o fato de Bravura Indômita receber tantas indicações só mostra como o ano foi fraco em produções, mas não duvido que a Academia nos pregue outra peça como fizeram com "Onde os Fracos Não Tem Vez", dando tantos prêmios pouco merecidos.

Assistam e tirem suas conclusões. A minha humilde opinião é essa: na dúvida, fique com a versão de 1969. Como disse antes, é uma pintura.




15 de fevereiro de 2011

MINHAS MÃES E MEU PAI (The kids are all right, 2010)

DIRETOR: Lisa Cholodenko
ELENCO: Mia Wasikowska, Mark Ruffalo, Julianne Moore, Josh Hutcherson, Annette Bening, Yaya DaCosta, Kunal Sharma, Rebecca Lawrence
GÊNERO: Drama

O casal de lésbicas, Nic (Bening) e Jules (Moore), leva uma vida normal com seus dois filhos adolescentes Joni (Wasikowska) e Laser (Hutcherson), concebidos por inseminação artificial. Ao completar 18 anos, a garota decide procurar o pai após grande insistência de seu irmão caçula. O encontro com o progenitor Paul (Ruffalo) não poderia ser melhor e, dali para frente, o impacto do humilde e impulsivo agricultor irá transformar a vida de cada personagem de maneira devastadora.

Eu gostaria de contar mais sobre o filme, porém este tem sequências muito previsíveis e, o pouco mais que eu disser, estarei entregando algum ponto valioso desta película. No cinema, ao optar por assistir este, vá ciente de que, apesar de ser uma história muito legal e curiosa, é um filme sobre relacionamentos dos mais diversos tipos (seja entre pai e filhos, seja entre filha e mães).
Vale lembrar que este filme está indicado ao Oscar deste ano, nas categorias "Melhor Filme", "Melhor Atriz" (Anette Bening), "Melhor Ator Coadjuvante" (Mark Ruffalo) e "Melhor Roteiro Original". Cada uma das indicações foi coesa, e quero ressaltar minha aposta de que esta película poderá levar para casa a estatueta de "Melhor Roteiro Original".

Para fechar, particularmente senti falta de uma indicação para Julianne Moore, tendo ela incorporado um dos melhores papéis de sua carreira e, apesar de ter atuado junto à também talentosa Anette Bening, merecia com maior louvor uma consideração da Academia.

...e a cada dia que passa, o Oscar se aproxima... Preciso ver muitos filmes pra ficar por dentro. Mas este aqui "já matei"! Obrigado pela leitura e até mais!

14 de fevereiro de 2011

BURLESQUE

O Burlesque Loungue é um clube de dança atolado em dívidas e sua proprietária, Tess (Cher), corre o risco de perdê-lo. Ali (Christina Aguilera) é uma garota com um talento natural de diva que deixa sua cidadezinha no interior para ir atrás do seu grande sonho de se tornar cantora e vai embora para Los Angeles. Assim que chega lá, conhece o Burlesque e aprende que é uma dança sensual, sem fazer striptease.

Ali tenta convencer Tess do seu talento, porém a única chance que ganha é trabalhar como garçonete no clube. Com o passar do tempo, ela aprende todas as coreografias e, um dia, e uma audiência para substituir uma dançarina que ficou grávida, Ali invade o palco para mostrar à Tess e seu assistente Sean (Stanley Tucci) a que veio e começa a dançar no palco de Burlesque.


Ainda não satisfeita, Ali quer inovar os shows para poder mostrar todo o seu potencial como cantora. A oportunidade perfeita aparece quando sua rival, Nikki (Kristen Bell) desliga o som durante uma apresentação e Ali começa a cantar para valer, sem microfones, deixando todos impressionados (convenhamos, as músicas da Christina podem ser ruins, mas não podemos negar que ela canta muito!).


Nesse meio tempo ela vai morar no apartamento de seu colega de trabalho, Jack (Cam Gigandet). Ele tem uma noiva que mora longe e acaba se apaixonando por Ali.

Com as dívida cada vez pior, aparece a oportunidade de vender o Burlesque para o super milionário Marcus (Eric Dane) que, entre seus escusos interesses está o de ficar com Ali. Mais tarde Ali descobre que ele só quer demolir o clube para construir um prédio e é aí mesmo que aparece a salvação para as dívidas do Burlesque e a vitória de Tess.


É um filme que não pretende inovar a linguagem cinematográfica ou mesmo de musicais, mas o filme é super caprichado, repleto de diálogos divertidos, indo do drama ao humor naturalmente. O ponto forte do filme são as músicas, cantadas pela Cher (que além da idade, está ‘inteirassa’ e manda uma mensagem para aqueles que acham que a carreira dela está acabada), e Christina Aguilera, que como dizem no filme: “Como uma pessoa branca consegue cantar desse jeito?”. As coreografias são muito bem feitas, e as dançarinas mandam muito bem.


O filme é todo bonito, um musical com drama e humor que vale a pena ser assistido!

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog