Parceria

22 de dezembro de 2010

TOMATES VERDES FRITOS (Fried Green Tomatoes, 1991)


O ambiente do filme recorre a dois momentos, a década de 1920 e de 1990 no Alabama, EUA. Nos anos 90, uma jovem esposa, chamada Evelyn, enfrenta um momento tenso em seu casamento. Participa de encontro de mulheres, faz cursos, assiste palestras tudo para tentar "salvar" seu  casamento. Porém a história ganha cor quando ela conhece uma interessante senhora em um asilo, chamada Ninny, que lhe conta algumas histórias dos anos de 1920. A principal história contada é sobre Idgie Threadgoode, uma jovem que vivia também no Alabama e que tinha um restaurante onde eram servidos tomates verdes fritos, um prato típico do sul dos EUA.

A história do filme merece destaque pois consegue retratar um cenário dos anos 20 com aquilo que era realmente mais comum e significativo. A época é um boom econônico para os EUA, porém não são só coisas boas. Um exemplo disso é o preconceito contra negros e a falta de poder e voz das mulheres (situação que ainda hoje é significativa). O filme também apresenta um momento onde homens de capuz (membros da Ku Klux Klan, um grupo formado apenas por homens que desejavam a supremacia branca) e alertam Idgie que eles não gostam que ela sirva os negros. Outro fato histórico interessante é a expansão dos trens nessa época (porém, ao mostrar o local nos anos 90, nota-se que o trem não é mais utilizado).


No momento atual (Década de 90), Evelyn começa a agir como se fosse Idgie e isso faz com que a história realmente tenha valor, pois vemos como histórias do passado podem ajudar nosso futuro. [SPOILER] É agindo dessa forma que Evelyn salva seu casamento. [FIM_SPOILER]

Detalhe: a mudança do tempo no filme, de uma década a outra é simples e é como ouvir uma história de sua avó. O filme não é recheado de efeitos especiais (para 1991 não é muita surpresa), embora todos os cenários e figurinos de época sejam perfeitos, dando a sensação de que o filme foi gravado nos anos 20. É um drama clássico, que vale a pena assistir com toda a família e depois ouvir as histórias que sua vó pode contar. Porque não aproveitar o natal em família assistindo um bom filme?

Se você já assistiu, o que achou? Comente!

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog