Parceria

4 de novembro de 2010

O Livro de Eli (The Book of Eli, 2010)

Confesso que fui muito resistente a ver o Livro de Eli. Imaginava que seria apenas mais um filme "pós-apocalipse", seguindo a linha de filmes como Eu Sou a Lenda, Mad Max e Exterminador do Futuro: A Salvação. O filme, entretanto, me surpreendeu. Ainda bem, pois esta é a proposta dele, surpreender. Novamente um filme com Denzel Washington (de O Colecionar de Ossos) como protagonista não tem erro. O que me agradou na obra foi a temática diferenciada, é o primeiro que aborda o poder da religião num futuro onde planeta foi quase totalmente destruído. 

Denzel Washington é Eli, um andarilho neste mundo após a destruição do planeta (se por guerra ou efeitos climáticos, não se esclarece no filme). Eli é super-habilidoso com armas e em artes marciais e está atravessando o que era os Estados Unidos rumo ao Oeste. Ele está caminhando por todos os lados há 30 anos com um livro que lê todos os dias. Logo, se descobre tratar-se da Bíblia e que ele pretende levar a um lugar que esteja pronto para recebê-la, pois é o último exemplar - todos os outros teriam sido destruídos e queimados pela população sobrevivente do "apocalipse".

O ambiente do mundo criado pelos diretores Allen e Albert Hughes lembra muito Mad Max, tudo é muito deserto, sem água ou comida, (ao ponto de algumas pessoas virarem canibais). As roupas são as melhores, só trapos em um estilo meio punk, meio grunge. 

Mila e Denzel, amizade e esperança.
No seu caminho, Eli chega a uma cidade em ruínas, onde conhece Carnegie (Gary Oldman, de Batman Begins), o administrador deste lugar. Ambicioso e com o desejo de controlar as pessoas, Carnegie está à procura da Bíblia, pois ele conhece o poder das palavras contidas nela e tenta, a todo custo, capturar o livro de Eli quando descobre que o último exemplar está em suas mãos. É quando o protagonista se vê envolvido com uma moça que vira sua amiga e companheira de jornada, Solara (Mila Kunis, de Max Payne). Eli não pode entregar o livro para Carnegie, pois ele recebeu uma "mensagem divina" de que sentiria quando chegasse a hora de entregar o livro.

Quer saber o final? Assista o filme, é surpreendente. Vale a pena. A direção de arte é fantástica. Denzel te engana do início ao fim, Mila cativa e Gary, como vilão, é sensacional!

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog