Parceria

1 de novembro de 2010

1984 (Nineteen-Eighty Four, 1984)

O post de hoje foi enviado pelo nosso amigo Eduardo Mendes, de Porto Alegre. Ele resolveu nos contribuir com sua visão sobre o filme 1984, clássico baseado no livro de título homônimo de George Orwell. Importante ressaltar que se trata da versão do ano de 1984 e não a original, de 1956, sob mesmo título. Foi da obra de Orwell que foi tirada a expressão Big Brother, para o Reality Show. São inúmeras as obras cinematográficas influenciadas por esta obra prima, como Equilibrium e V de Vingança. É uma honra para este blog, contar com mais este título no acervo de críticas e dicas. Esperamos que vocês gostem, tanto quanto nós! Fala, Eduardo!

"Quem controla o passado controla o futuro e quem controla o presente controla o passado!

Guerra é Paz.

Liberdade é Escravidão.

Força é Ignorância."


1984 é disparado um filme sobre política, mas arrisco a dizer que também é sobre 'Poder'! O filme tem como protagonista Winston (John Hurt), um funcionário do Ministério da Verdade, responsável pela alteração de notícias e informações sobre TUDO.
O filme se passa em Londres, onde o Partido comanda todas as atividades. Baseado no livro de mesmo nome, 1984 é considerado o livro do século por muitos leitores (inclusive eu, que sou fanático por ele!). Para aqueles que pensam que somos livres e podemos escolher o que comer, vestir... etc, assista a esse filme, ele conta como vive uma sociedade totalmente controlada pelo Estado. Mas estamos falando em ditaduras de controle do pensamento onde o amor é proibido, manifestação de fé é proibida, até mesmo fazer sexo, sem que o motivo seja a reprodução, é proibido!
Suzanna Hamilton como Julia.
Winston, vive em Londres à sombra do "Grande Irmão" (Big Brother), o símbolo máximo do Partido. No universo de 1984 você trabalha porque o Grande Irmão concede-lhe trabalho, você come aquilo que o partido quer que você coma, veste aquilo que o partido quer que vista.

Hurt é aquele tipo de ator que consegue dizer frases inteiras apenas com os olhos e o olhar e a vigia são o foco do filme. O Grande Irmão observa tudo; em todos os lugares existem cartazes com a face do Grande Irmão com o olhar penetrante de um inquisidor ferrenho!

No final do filme, revela-se o que é liberdade: "é poder pensar que 2+2=5". Para quem pescou, sim esse é o titulo da musica da banda inglesa, Radiohead. Aliás, se falarmos de todos os filmes, bandas, músicas e de toda arte que o filme e o livro desenvolveram, ficaríamos anos descrevendo!
Existem muitos termos que o filme nos ensina, como o meu favorito, o "duplipensar". O duplipensar é simplesmente corresponder a um conceito segundo o qual é possível ao indivíduo conviver simultaneamente com duas crenças diametralmente opostas e aceitar ambas. Outro conceito genial é a "tele-tela", por onde o cidadão é vigiado e recebe informações do Partido, todas divulgadas pelo Ministério da Verdade, responsável pelas mentiras. Além disso, a "tele-tela" é a forma como todos são vigiados pelo Grande Irmão.

A criação de um inimigo em comum que deve ser odiado de maneira fanática, a entrega de corpo e alma para uma causa são perfeitamente ilustrados no filme. É, sem dúvida, genial e creio que foi uma das melhores adaptações de livros. Evidentemente que não se pode colocar tudo do livro na tela, ou melhor, na "teletela", mas vale muito a pena!

Assista o filme e acredite no Grande Irmão, afinal, ele acredita em você! Quem desejar cair de cabeça no mundo de 1984, eu aviso, CUIDADO. Você pode acabar descobrindo como nossa sociedade é e se decepcionar profundamente.

Eduardo Mendes

Ficha Técnica
Título original: 1984.
Gêneros: Drama, Ficção Científica, Romance, Thriller.
Tempo: 113min.
Ano: 1984.
Direção: Michael Radford.
Roteiro: George Orwell / Michael Radford.
Elenco: John Hurt (Winston Smith), Richard Burton (O'Brien), Suzanna Hamilton (Julia).

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog