Parceria

29 de outubro de 2010

Top 10 especial: HALLOWEEN

O Cinema Sem Frescura preparou um post especial com dicas de filmes para você assistir nesse Halloween, e as opções não podiam ser mais horripilantes, confira!

Obs.Não é um ranking, é apenas uma listagem.


O EXORCISTA (The Exorcist - 1973)

A obra-prima de William Friedkim conta a história da menina Regan (Linda Blair), uma menina que aos poucos acaba possuída pelo "coisa-ruim" e passa por um duro processo de exorcismo, guiado pelo Padre Merrin (Max Von Sydow). Não é a toa que até hoje prende multidões na cadeira a cada rodopio de pescoço da protagonista!








O ILUMINADO (The Shining - 1980)


Danny (Jack Nickolson) e sua família se mudam durante o inverno para cuidar de um hotel fora de temporada, porém não imaginam que aquele foi o cenário de um assassinato em massa e o espírito assassino segue em sede de vingança. Não sei que "luz" deu na cabeça de Stanley Kubrick para a criação deste que é um dos maiores filmes de terror de todos os tempos!





CARRIE, A ESTRANHA (Carrie, 1976)

Brian De Palma apresenta a história de uma menina ridicularizada durante todo o ensino médio que, em seu baile de formatura é humilhada diante de seus "colegas". Porém, o que ninguém sabia é que esta tinha poderes sobrenaturais e não tinha receio em usá-los. Com Sissy Spacek e John Travolta.













EVIL DEAD: UMA NOITE ALUCINANTE (Evil Dead, 1981)


Um grupo de amigos vai para uma casa de campo e encontram um livro com encantamentos demoníacos. Incrédulos de consequências, conduzem as instruções do livro e dividem-se em dois "grupos": Possuídos e... Bem, Mortos.Direção assinada por Sam Raimi, que ultimamente voltou com o ótimo "Arraste-me Para o Inferno"












TERROR EM SILENT HILL (Sillent Hill, 2006)
Inspirado nos games, o thriller conta o drama de Rose(Radha Mitchell), que faz de tudo para salvar a vida de sua filha, esta com uma doença fatal. Juntas, acabam na cidade de Silent Hill: Um lugar sombrio e habitado por zumbis. Logo de cara a menina desaparece e assim Rose não medirá esforços para encontrá-la e lutar por sua sobrevivência. Ah: Tem ótimos sustos!



O SEXTO SENTIDO (The Sixth Sense – 1999)
Malcolm Crowe (Bruce Willis) é um psicólogo infantil que tem um novo
paciente, Cole Sear (Haley Joel Osment), que diz conversar com pessoas
mortas. O filme é dirigido por M. Night Shyamalan, conhecido por suas cenas
finais serem surpreendentes. Vai dizer que quando você viu não ficou tentando imaginar qual o sentido da coisa toda e no final PQP!





MADRUGADA DOS MORTOS (Dawn of the Dead – 2004)
Ana (Sarah Polley) , sobrevive a um ataque zumbi em sua cidade, Wisconsin e encontra ajuda de Kenneth (Ving Rhames, onde se refugiam em um shopping Center com outros sobrebiventes, contudo, começa a faltar energia, comida e começam discussões e eles devem sair de seu abrigo e enfrentar os zumbis.

Nada de muita novidade em um filme desse gênero, mas, SÃO ZUMBIS, precisa de mais alguma coisa?



HELLRAISER – RENASCIDO DO INFERNO (HELLRAISER – 1987)


Anos após a morte do irmão Frank Cotton (Frank Chapman), Larry Cotton(Andrew Robinson) retorna à sua antiga casa e descobre um cubo no local onde seu irmão morreu e consegue decifrar seu enigma, trazendo para o mundo real Pinhead e seu Cenobitas para espalhar terror diretamente do inferno. Citar a parte dos Cenobitas com roupas de couro e apetrechos sadomasoquistas com certeza vai fazer muita gente (doente =X) gostar do filme!



TREZE FANTASMAS (Thir13en Ghosts – 2001)

Arthur (Tony Shalhoub) recebe de herança uma mansão de um misterioso tio, após um incêndio em que eles perdem tudo. A casa feita inteiramente de vidro seria perfeita, se dentro dela não estivessem 12 fantasmas que não vão medir esforços para conseguir seu 13° membro.

A história de cada fantasma é impagável, e o sangue falso (MUITO sangue falso), mais ainda!



EXTERMÍNIO (28 Days Later – 2002)

Ativistas invadem um labotarório de esperiências feitas em macacos e decidem libertá-los, não sabendo que eles estavam infectados, os macacos atacam violentamente a todos. Vinte e oito dias depois um deles acorda do coma num hospital e descobre que está sozinho, além da companhia de zumbis e mais uns poucos sobreviventes.


Sem dúvida alguma, o melhor filme de zumbis, esse tem um pouco de lógica!


Post por Diego e Juliana

Estréias de 29/10/10: "Federal", "Atração Perigosa" e "Cyrus"

Mais um fim de semana chegou e uma vez mais trazemos a você as principais estréias na telona. Neste post você encontrará filmes de ação, drama e suspense. Então chega de introdução e vamos aos previews deste 29/10/10:


"FEDERAL" (2010)
DIREÇÃO: Erik de Castro.
ELENCO: Selton Mello, Carlos Alberto Riccelli, Eduardo Dussek, Carolina Gomez e Michael Madsen.
GÊNERO: POLICIAL / AÇÃO.
O veterano Selton Mello volta às telonas no filme que promete desbancar "Tropa de Elite 2" dos rankings nacionais: FEDERAL conta a história de Dani, um correto agente especial da Polícia Federal que está à procura do playboy Carlos Beque Batista (Dusek), peça chave na inclusão da cidade de Brasília na rota do tráfico de cocaína para o exterior. Apoiado pelo delegado Vital (Riccelli) e por um grupo de elite do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal.
A intenção do filme é apresentar a realidade através da visão do policial, com enfoque cru na visão do bandido. Esta fórmula é tida como certa, uma vez que o filme onde Capitão Nascimento faz a frente já bateu todos os recordes do cinema nacional. Seria de se espantar caso o filme afundasse na bilheteria mas, honestamente, não será o caso.

"ATRAÇÃO PERIGOSA" ("THE TOWN", 2010)
DIREÇÃO: Ben Affleck.
ELENCO: Ben Affleck, Jon Hamm, Rebecca Hall, Jeremy Renner e Blake Lively.
GÊNERO: AÇÃO / DRAMA
Diretor e protagonista, Ben Affleck dá vida a Doug, o líder de uma impiedosa facção criminosa que assalta um banco de Boston e mantém a gerente Claire (Hall) como refém. Sem machucados físicos, a funcionária é libertada pela quadrilha sob o aviso de que sabem seu nome e endereço. Vivendo de forma tensa e insegura, Claire tenta tocar a vida até conhecer um homem que julga ser honesto e confiável: Doug (Sim, o do início).
O filme promete ganhar o público nos momentos de tensão (E na cena da "gossip girl" Blake Lively de calcinha e sutiã, \o/). Nele, poderemos analisar se Ben Affleck exerce atrás das câmeras o mesmo papel que exerce em frente. Já esse é outro lado da tensão...

"CYRUS" ("CYRUS", 2010)
DIREÇÃO: Jay e Mark Duplass.
ELENCO: John C. Reilly, Jonah Hill, Marisa Tomei, Catherine Keener, Matt Walsh, Diane Mizota, Kathy Wittes e Katie Aselton.
GÊNERO: COMÉDIA / ROMANCE
É uma história pronta: John (Reilly) conhece Molly (Tomei) numa festa e logo se apaixona por ela. Entretanto, algo o impede de visitar a casa da mulher. Após pouco tempo investigando ele descobre a existência de Cyrus (Hill), filho de 21 anos de sua mais recente paixão. Por ser extremamente ciumento, o cara fará de tudo para afastar o pretendente de sua mãe.
O que li online não empolga e, se o trailer realmente mostra os melhores ganchos do filme... Vai chegar logo nas locadoras. E ficar na prateleira por um bom tempo.



Bom fim de semana a todos (e bom cinema)!


@Capitao

26 de outubro de 2010

Três Homens Em Conflito (Il Buono, Il Brutto, Il Cattivo, 1966)


Western, faroeste, bang-bang, com certeza você já ouviu falar em um desses termos, mas você sabe qual filme imortalizou o gênero que marcou época e é referência até hoje? A obra-prima “Três Homens em Conflito” (The Good, Tha Bad and The Ugly), conhecido também como 'O Bom, O Mau e O Feio'.

Dirigido por Sergio Leone, tem Clint Eastwood no elenco (esse eu não preciso apresentar, e é um ultraje ter que fazer!), e é o filme favorito do Quentin Tarantino (e o meu também, por sinal). E para quem já ouviu falar na série de livros 'A Torre Negra' do Stephen King, o personagem principal, Roland, é baseado no personagem de Eastwood nesse filme.

É uma verdadeira aula de cinema, onde Sergio Leone consegue criar longas cenas sem cortes, aumentando a tensão, cenas panorâmicas onde personagens não são maiores que formigas e aparecem num ponto distante da tela, closes nos rostos dos atores, suando e queimando de ódio, com imagens e sons inesquecíveis até a hora da cena final mais incrível da história do cinema.

A trilha sonora é uma das mais reconhecidas de todos os tempos, feita por Ennio Morricone, e que, com certeza, mesmo que você não tenha visto o filme, já ouviu o tema principal em algum lugar, por exemplo, a abertura do show do Metallica.

É claro que não podemos deixar de citar os já ‘manjados’ assobios e uivos de coiote, violões e etc, que fazem perfeito par com as cenas mais vistosas dos filmes do gênero. Uma curiosidade, é que a trilha sonora já estava pronta antes de o filme estar pronto.

O filme, na verdade, faz parte de uma trilogia, onde ficou imortalizado o termo ‘western spaghetti’, em que o primeiro é ‘Por Um Punhado de Dólares’ (Per un Pugno di Dollari, 1964), onde Joe (Clint Eastwood, na verdade, seu personagem não tem nome certo, mas se trata da mesma), é um pistoleiro que chega em uma cidade em guerra e logo as duas partes lutam para contratar seus serviços, e ele percebe que pode ganhar mais dinheiro trabalhando para os dois lados. E depois vem ‘Por Uns Dólares A Mais’ (Per Qualche Dollaro In Piü), nesse, o personagem de Clint realmente não tem nome, o filme fala sobre dois caçadores de recompensas que estão atrás do mesmo homem e percebem que o melhor a fazer é se unir, mesmo sem saber qual razão levou cada um a perseguir seu trabalho.

E finalmente, em Três Homens Em Conflito (Il Buono, Il Brutto, Il Cattivo, no original), os três homens em busca pelo tesouro é somente uma das partes da história, a trama é encaixada no meio da Guerra Civil, no qual nada se fala sobre a guerra, mas ela ajuda os nossos bandidos a seguirem os rastros para encontrar o prêmio final, eles acabam 'brincando' de serem soldados. O diferencial para o gênero, é que esse filme tem uma história mais rica, não é à toa que tem um pouco mais de três horas de duração, e o ponto chave na trama toda é que, cada ‘homem em conflito’ tem uma parte da localização de onde o tesouro está, O Bom, Blondie (Clint Eastwood – Cowboys do Espaço, O Mau, Angel Eyes (Lee Van Cleef – A Morte Anda a Cavalo), e O Feio, Tuco (Eli Wallach – WallStreet, O Dinheiro Nunca Dorme), devem se juntar mesmo querendo matar um ao outro, caso contrário, nada de tesouro para ninguém.

Óbvio que, apesar de ser um ícone dos filmes de western, há também seu ponto fraco. O principal, é algumas partes serem arrastadas, o filme apresenta cada um do três separadamente, e leva mais da metade do filme para eles finalmente se encontrarem, além de cenas sem nenhum diálogo. No entanto, eu não acho isso excessivamente ruim, acho que elas ajudam a criar um clima de tensão e fazer você ansiar pelo próximo passo dado.

Três Homens Em Conflito com certeza é um dos filmes que qualquer cinéfilo deve ter em seu repertório, e com certeza vai pra sessão ‘Ver antes de morrer’!




22 de outubro de 2010

Estreias: Atividade Paranormal 2, O Solteirão, Instinto de Vingança, Homens em Fúria, Piranha

As dicas de estreias de hoje ficaram por conta do Diego (duas primeiras) e eu, Juliana (três últimas). Seguem:



ATIVIDADE PARANORMAL 2 (Paranormal Activity 2)

DIREÇÃO: Tod Williams.ELENCO: Katie Featherston.GÊNERO: Suspense / Terror.
Uma das estreias mais aguardadas do ano chega enfim: “ATIVIDADE PARANORMAL 2″ promete arrepiar as bilheterias mundiais a partir de hoje. Neste filme, você já sabe o que esperar mas mesmo assim é pego de surpresa com os mais diversos “efeitos surpresa” e silêncio exagerado para criar o clima tenso característico do filme. Desta vez, presenciamos a história de Katie, uma mulher que decide instalar câmeras pela casa como medida de segurança, após uma possível invasão. Inicialmente e por sentidos de lógica, acredita-se ser obra de um ladrão porém, com o passar do tempo (E os registros captados pelas cameras), a protagonista vê que a situação é mais alarmante que imaginara. Apesar do segundo filme ser anunciado logo no término do primeiro, a divulgação deste não está tão forte quanto o anterior e as informações sobre a película estão bem restritas. Isso pode ser bom: Afinal, começa aí o tal “efeito-surpresa”.


O SOLTEIRÃO (Solitary Man)


DIREÇÃO:
Brian Koppelman e David Levien.
ELENCO: Michael Douglas, Susan Sarandon, Danny DeVito, Mary-Louise Parker, Jenna Fische, Imogen Poots e Jesse Eisenberg.GÊNERO: Comédia / Drama.
Com pretensão de conquistar as telas brasileiras, “O SOLTEIRÃO” estreia este fim de semana. MICHAEL DOUGLAS dá vida a Ben Kalmen, um divorciado vaidoso e mulherengo que ao descobrir a possibilidade de ter um problema cardíaco, decide viver a vida da forma mais irresponsável possível (Desde que se sinta bem na situação). Com isso, mulheres bem mais novas são alvo fácil do solteirão, que vê sua vida desmoronar após uma extensa sequência de decidões erradas com consequências, talvez, irreversíveis. Em dado momento, Ben se encontra num relacionamento com Jordan, mulher de sua faixa-etária com potencial (E contatos) para trazê-lo financeiramente a tona. Tudo vai bem até o conquistador encontrar a filha de 18 anos da namorada e… CRÉU! Hahahaha! Reviravoltas acontecem e o bon-vivant vai de encontro a um grande conflito interpessoal.
Apesar de carregar nomes de peso como o de SUSAN SARANDON,DANNY DE VITO e o do protagonista, o filme não desempenhou uma boa bilheteria nos cinemas norte-americanos no ano passado. Segue o trailer abaixo para que tirar suas conclusões, porém tive a impressão de ser um daqueles bem “água com açúcar”. Apesar de tudo, espero que MICHAEL DOUGLAS pegue um fragmento do personagem vivido e arrisque mais no próximo filme: Um ator como este não pode (E nem deve) se manter na “zona de conforto”.
INSTINTO DE VINANÇA (Tell Tale)

De Michael Cuesta (A Sete Palmos) com Josh Lucas (Uma Mente Brilhante), Lena Headey (300) e Brian Cox (Tróia).
Gênero: Suspense.

O filme conta como, após um transplante de coração, Terry (Josh Lucas) passa a viver com parte de uma outra pessoa dentro de si, e passa a perceber que seu novo coração era de um assassino quando em certo momento, o órgão começa a bater mais rápido ao ver um paramédico e logo nota que, se não resolver esse mistério, o coração que tem ‘vida própria’ pode enlouquecê-lo ou chegar até a matá-lo.


HOMENS EM FÚRIA (Stone)

De John Curran (o Despertar de uma Paixão) com Milla Jovovich (Resident Evil), Edward Norton (O Incrível Hulk) e Robert De Niro (Máfia no Divã).
Gênero: Suspense.

Jack (Robert De Niro) é um agente de condicional e está prestes a se aposentar e verifica pela pela última vez seus processos de libertação, e no meio deles está o de Gerald (Edward Norton), indiciado por queimar um local de crime para encobrir as provas de um assassinato. Para conseguir sua libertação, ele e sua esposa Lucetta (Mila Jovovich) tentam convencer Jack de que agora ele é um novo homem e merece sua lierdade.


PIRANHA 3D (Piranha 3D)

De Alexandre Aja (Viagem Maldita) com (CSI Miami), Christopher Lloyd (De Volta Para O Futuro – dispensa apresentações, né?) e Elisabeth Shue (De Volta Para O Futuro).
Gênero: Terror

Após um tremor violento abaixo das águas do Lago Victoria, peixes pré-históricos aparecem e seu prato principal: humanos.
A policial Jule Foster (Elisabeth Shue) e um grupo se reúnem para acabar com a raça (literalmente) dos peixes carnívoros.
Ok, eu tenho que comentar, lembrei daquele filme que tem um crocodilo gigante no esgoto que come pessoas, “Alligator”, estão lembrados?



Escolha o seu e divirta-se!

21 de outubro de 2010

O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus (The Imaginarium of Doctor Parnassus, 2009)


Depois da fácil conclusão do projeto de Os Irmãos Grimm (The Brothers Grimm)Terry Gilliam (de Os Doze Macacos) é testado em O Mundo Imaginário do Dr Parnassus.

Com tempestades que arruinaram o set de filmagem e a morte do protagonista, Heath Ledger (de Batman, o Cavaleiro das Trevas), Gilliam chegou a quase desistir das filmagens. Foi então que apareceram Johnny Depp (de Piratas do Caribe), Jude Law (de Inteligência Artificial) e Colin Farell (de Miame Vice) e se propõe à finalizar o papel de Ledger. Se isso tivesse sido combinado, não daria tão certo!

O filme é totalmente o estilo de Gilliam, surreal. Nota-se que saiu da sua mente, onde se encontra o mundo mais colorido e os sonhos mais sinistros, pois o filme é assim. O Imaginarium funciona mostrando sonhos e desejos na mente das pessoas, podendo então, ser qualquer coisa, desde escadas infinitas até balões em formato da cabeças das pessoas.

O filme conta a história que, em troca da imortalidade, o Dr. Parnassus (Christopher Plummer) faz um acordo com o diabo, mais conhecido como Sr. Nick (Tom Waits) onde ele deve dar sua filha à ele quando ela completar 16 anos. Convicto de que nunca teria uma filha, aceitou o trato, até que conheceu o amor de sua vida, Valentina (Lily Cole) e acaba por ter... uma filha. Desesperado e bêbado às vésperas do aniversário dela, Dr. Parnassus tenta renegociar com Sr. Nick, dizendo que conseguiria 5 almas para ele em 3 dias, antes de sua filha completar a idade acordada entre eles. Eis que surge Tony (Ledger, Depp, Law e Farell) em cena. A ponto de ser enforcado, Tony consegue fugir e logo entra para a ‘trupe’ do Imaginarium. Com sua lábia, ajuda o Dr. a cumprir o novo acordo, para tristeza de Anton (Andrew Garfield), que vê sua amada sendo conquistada pelo novo membro do grupo.

A vida que os quatro atores dão ao mesmo personagem funciona assim: cada pessoa tem desejos diferentes e suas mentes são diferentes umas das outras, o que cai como uma luva na mudança de personagem em cada pessoa que entra no Imaginarium. Como disse antes, se fosse combinado, não ficaria tão bom.


E como é normal nos filmes de Gilliam, a história pode não agradar a todo mundo, veja o exemplo de Monty Phyton e o Cálice Sagrado. Entretanto, o filme é visualmente tão cativante e a mudança de acontecimentos tão fantástica, entre outras surpresas, que, com certeza, até uma pessoa que não tem a mente "aberta" vai gostar de alguma coisa dele!

20 de outubro de 2010

Os Sete Samurais (Seven Samurai, 1954)

Eu sempre ouvi falar que "Os Sete Samurais" era um dos melhores filmes de todos os tempos, porém a ideia de assistir um filme japonês da década de 50 nunca me atraiu muito, não importando o quanto o filme fosse extremamente bem recomendado. Porém eu decidi que já era hora de mudar de ideia e conhecer o porquê de toda essa fama (a começar porque é a obra mais significante de Akira Kurosawa).

Primeiro deixem-me tirar isso do caminho: sim o filme é ótimo. Eu não sei se o classificaria entre os melhores que eu já vi, mas com certeza é um filme que tem ínumeras qualidades saltando da tela a cada sequência. A história se concentra em um grupo de samurais que são contratados por uma vila para defendê-los de uma quadrilha de 40 ladrões e assassinos. O filme tem 3h e 30 min, mas é tão agradável de acompanhar que mais parece um curta-metragem. De fato, a primeira vez que eu assisti, achei que o filme mal tinha duas horas de duração. Aliás, assistir ao filme mais de uma vez se tornou essencial para que eu descobrisse seu real valor.

Na primeira vez fiquei interessado na história e em como os sete samurais conseguiriam enfrentar os quarenta bandidos que se aproximavam. Na segunda, pude prestar mais atenção nas interpretações e no clima da história. Na terceira (sim, eu tenho muito tempo livre) percebi que cada cena tem um significado especial e um "subtexto" ainda mais impressionante do que a importância da história sendo contada e que, mesmo assim, todas as cenas se encaixam com perfeição no contexto da história.

Ao se verificar alguns elementos do filme deve-se considerar que muitas das ideias que nos parecem comuns hoje em dia surgiram (ou ao menos foram utilizadas juntas) pela primeira vez nesse filme. Exemplo disso é a ideia de recrutar heróis distintos para atingir um objetivo em comum ou apresentar o herói principal em uma situação não relacionada à trama principal. Outra qualidade do filme e a ótima interpretação de Toshirō Mifune como o indomável Kikuchiyo, um falso samurai que parece emular o desejo do público de seguir o grupo e provar seu valor. O único ponto que parece não ter envelhecido bem para mim é a trilha sonora que não mantém a mesma intensidade do restante da história e é escassa em relação à duração do filme, ainda que em alguns raros momentos se torne poderosa. No entanto, esse é um ponto que passa quase despercebido quando assistimos a um filme onde cada cena parece pensada para causar um impacto específico no espectador e cada uma delas obtém sucesso em atingir esse objetivo de forma inquestionável.

Este texto foi publicado originalmente no blog The Groovers, por Vinício Oliveira.

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog