Parceria

31 de agosto de 2010

Karate Kid (2010)

O post de hoje tem a contribuição da Juliana Puccia de Oliveira, também conhecida como @PsychoLuthien. Ela foi conferir o remake de Karatê Kid e nos conta as suas impressões.

"Diferentemente dos remakes feitos nos últimos tempos, Karatê Kid (que de karatê só tem o nome), é um remake que vale a pena conferir! Pegando a versão de 1984, com Ralph Macchio e Pat Morita, mudam algumas cenas e a forma como se dá a história do menino.  O personagem de Jaden Smith, tem uma reviravolta na vida: se sente perdido, encontrando inimigos, um mestre que o ensina a lutar e a garota que rouba seu coração logo no começo. Sim, podemos pensar que é o mesmo filme, do mesmo jeito, mas não, a homenagem foi bem-sucedida e conseguiu que o filme ficasse diferente, porém sem perder a essência do original.

Obviamente, esta versão com Jackie Chan faz alusões ao original, como a cena de pegar a mosca com o hashi e outra em que ele ensina a lutar com "tira a jaqueta e põe a jaqueta" ou "passa a cera e tira a cera", o que satisfaz os fãs antigos, apresentando o filme a uma nova plateia.

Daniel-san e Sr. Miyagi
E, claro, pode-se polemizar o personagem de Chan, Sr. Han, tentando fazer o mesmo papel do Sr. Miyagi (Pat Morita), mas não, os personagens não são parecidos, a não ser pelo fato de ambos serem mestres nas suas arte marciais e ninguém dar um troco pelas suas habilidades. Sr. Han consegue ser cômico, porém, mais dramático que Sr. Miyagi no primeiro filme.



Sr. Han e Dre
As cenas de treinamento são um pouco cansativas, apesar de bonitas para os turistas verem, assim como as cenas de Dre (Jaden Smith) com a dona do seu coração, Meiying (Wenwen Han).

Durante o treinamento, o filme vai deixando de se referir ao original, bem como o treino do chute da garça, o clássico golpe de Daniel-san (o primeiro Karatê Kid).

O clímax é o campeonato contra os impiedosos lutadores de artes avançadas de kung fu, ou também, os valentões da escola onde Dre estuda. Vemos a apresentação do filme como a cópia moderna do original, e no final, a surpresa! Quer saber? Então assista! Não tenha medo de ser um outro Super Homem – o Retorno.

Obrigada! =)


Esta paulista, de 23 anos (quase 24, segundo a própria), é auxiliar administrativa e está no último semestre de Recursos Humanos pela UniABC. O que ela tem a ver com Cinema? Nada? Tudo! Ela gosta de filmes como qualquer um e pode falar sem frescura de querer ser crítica de cinema. Nem precisa, o Cinema Sem Frescura é esse espaço para quem sabe que não precisa ser formado em Cinema ou Jornalismo para falar de filmes. Cinema é feito para o povo, ninguém tem autoridade sobre ele. É arte por ser assim, belo e mágico mesmo sem frescura.

Postar um comentário

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog