Parceria

22 de dezembro de 2009

AVATAR (2009)

Ainda recente, o filme já pode ser considerado o vencedor de inúmeros prêmios, incluindo o nosso amigo Oscar. Minhas apostas são em melhor fotografia, direção de arte, efeitos especiais e sonoros. Atuação e roteiro estão no básico, mas a qualidade do filme é surpreendente.

A história, banal, lembra filmes como Dança Com Lobos, O Último Samurai e O Homem Chamado Cavalo, em que um homem (sempre um soldado americano) tem que conquistar um povo e acaba se apaixonando por ele. Torna-se parte desse novo grupo e o defende. Até aqui nada demais.

O filme traz uma temática de ficção científica diretamente influenciado por épicos como Guerra na Estrelas e Senhor dos Anéis, além da adaptação da narrativa de jogos de videogame. Por falar em games, os humanos do filme parecem muito com os Terrans do jogo Starcraft e os Na'vi são muito semelhantes aos Elfos Noturnos do jogo Warcraft 3, ambos jogos da Blizzard.
As semelhanças incluem nomes de alguns veículos e a personalidade dos "heróis". Os helicópteros, chamados de Valquírias, como em Starcraft, mostra a influencia ainda do filme Apocalipse Now, onde a invasão aérea no Vietnã é feita ao som de "A Cavalgada das Valquírias", de Richard Wagner. além do robôs controlados por soldados que lembram muito os "Goliath" do mesmo jogo. A personalidade dos "heróis" também é visível para quem se viciou um tempo nos jogos da Blizzard, como o Coronel Miles Quaritch do filme e o Tenente Jim Raynor do jogo entre outros... as associações são claras em todo o filme, podemos citar para os Na'vi a história da árvore sagrada que controla toda a sua vida como se fosse Deus, da mesma forma como é contada a história dos Elfos Noturnos em Warcraft 3, além de serem azuis, enxergarem melhor no escuro, terem orelhas ponteagudas e uma cultura meio indígena.

Há um excesso de personagens e veículos dos dois lados (humanos e Na'vi), mas sobretudo um excesso de influências. É tanta falta de originalidade na história que ela se torna única. Mas isso não compromete o filme. O roteiro é bom e a narrativa não deixa furos. Para a mitologia do filme (expressão que o James Cameron adora) fica o gancho para uma continuação estilo O Império Contra-Ataca (já estou viajando).

O que realmente vale cada centavo do ingresso é ver a riqueza dos detalhes jamais vistos no cinema, sobretudo num filme quase totalmente digital. Desde a percepção de profundidade na cena, por ser 3D, até aos movimentos das animações, superando trabalhos complexos como o Gollum, de Senhor dos Anéis, toda a nova trilogia de Guerra nas Estrelas e, o também estreiante, Os Fantasmas de Scrooge.

James Cameron mais uma vez revoluciona o cinema. Não se pode deixar isso passar. Você não pode esperar sair em DVD, Blue Ray ou passar na TV, tem que ir no cinema e assistir em 3D mesmo.

Vale muito a pena.

Até a próxima.
João Colombo

Comente o filme.

13 de novembro de 2009

BESOURO (2009)

Este texto foi enviado pelo Eduardo Mendes, que conferiu o filme e conta para a gente as suas impressões. Veja o que o cara nos diz:


Para quem pensa que o cinema nacional é apenas sobre os sofrimentos dos nordestinos se engana com a nova safra de filmes que estão chegando esse ano. Começando com o grande criador de bordões Tropa de Elite, sucesso por sua realidade e seriedade nas cenas, logo depois temos Se eu fosse você que mostra uma linha de humor "Sessão da Tarde" e temos o filme "Divã", da nossa grande atriz Lílian Cabral, que fez muitas mulheres chorarem e lembrar como é vida da mulher brasileira que já passou dos 40 anos, não como os americanos e seus delírios consumistas querem que sejamos.

Mas faltava um filme de ação, mas especificamente de luta, como Bruce Lee. Afinal, nós Brasileiros temos nossa identidade, temos nossa luta (mesmo que importada da áfrica) a capoeira, juntamente ao brazilian jiu-jitsu. Em "Besouro, o Filme" encontramos esse tempero que estava faltando.

A história se passa no período do escravismo, dentro de uma fazenda onde acontece toda a barbaridade desse período. No início do filme é dada uma situada no período e foca-se a história do capoeirista Besouro, que recebe espiritualmente ajuda dos orixás e exus. Mesmo sofrendo inúmeras oposições dos seus senhorios, consegue impor alguns limites contra os senhorios de escravos. Pela capoeira, na base da luta e da força de vontade, Besouro lidera o grupo de escravos.

Há pouca história em si, mas são ótimas cenas de luta capoeirista. Agora é só esperar as academias de capoeira ficarem lotadas de inúmeros adeptos.


14 de outubro de 2009

Se beber não case... ou case! (The Hangover, 2009)


Sabe quando você vai ao cinema achando que vai ver mais uma comédia pastelão que vai te proporcionar meia dúzia de risadinhas e nenhuma gargalhada? Poisé.. fui pronto para isso e assisti Se Beber Não Case, mas o que encontrei foi uma das mais bem feitas comédias de todos os tempos.

A trama é clichê: há um quarteto de amigos (o louco, o certinho, o bonitão e o inteligente) e um deles vai casar (sempre o inteligente, porque é inteligente casar (é?). Resolvem então fazer a despedida de solteiro em Las Vegas. Vegas já criou o conceito do "tudo é possível" nos Estados Unidos, assim, as maiores loucuras são permitidas ou, de outra forma, aceitáveis.

Os caras fazem uma noitada e não lembram de nada no outro dia. Entre as maiores loucuras está sequestrar um tigre da mansão de Mike Tyson, roubar uma viatura da polícia, sequestrar um traficante (?) chinês e perder um dos amigos no meio da noite. A pior de todas é o certinho, Stu (Ed Helmes) que, sendo completamente submisso à namorada, arranca o próprio dente e, depois do porre, acaba casando com a prostituta Jade (Heather Graham), já mãe.

O filme é hilário, a tempos eu não assistia a uma produção que me proporcionasse gargalhadas do início ao fim. O diferencial do filme não está na história em si, mas na atuação dos três amigos (seguindo a ideia das trapalhadas dos Três Patetas) - Phil (Bradley Cooper), Stu e Alan (Zach Galifianakis) na busca de repostas para o que aconteceu na noite anterior e onde está o amigo que vai casar, Doug (Justin Bartha).

Aí está, o filme não mostra o que aconteceu na sua plenitude, nem utiliza flashbacks. A narrativa é não-linear/linear, toda construída a partir do dia seguinte, quando todos acordam sem lembrar de nada do que aconteceu na noite passada, mas a partir das consequencias.

Vale muito a pena conferir.

Até a próxima.

20 de agosto de 2009

Alice in Wonderland... As Maravilhas de Tim Burton


é... já é um dos mais esperados do ano que vem. Mais uma dobradinha do Tim Burton com o Johnny Depp. O que todos esperam é que esta adaptação da obra de Charles Dodgson realce o lado mais sombrio e dramático da história original, mesmo com pitadas de humor... acredito que terá mais maluquice do que no clássico da Disney. Seria muita surpresa se Tim Burton fizesse alguma coisa totalmente sem influência do Expressionismo Alemão.

Mas os fanáticos pelo Sr. Depp podem botar suas barbixas de molho... se Tim Burton seguir fielmente o livro, O Chapeleiro Louco (Johnny Depp) deverá aparecer poucas vezes. A estrela do filme é na verdade uma novata dos cinemas, a atriz Mia Wasikowska, que trabalhou em Um Ato de Liberdade (Defiance, 2008), ao lado de Daniel Craig.

Há pouco do que dizer da produção, muita coisa vai rolar... a previsão da estreia é para março de 2010. Uma das expectativas na produção é o filme ser 3D, mas nas primeiras fotos não se viu a Panavision especial 3D... supõe-se que seja 3D a partir do momento em que ela chega no País das Maravilhas.

Sem delongas, resta aguardar... Curta o trailer abaixo para ter uma idéia.

Até a Próxima.
João Colombo


7 de maio de 2009

Ghostbusters III - Os Caça-fantasmas estarão de volta?


Ícone do anos 80, um clássico da "Sessão da Tarde", pode estar de volta. Na moda dos remakes e continuações saudosistas, os boatos ganham força e o cineasta Harold Ramis (que também interpreta o Egon) e Dan Akroyd (que fazia Ray), afirmam que o roteiro para o 3º capítulo dos heróis está em finalização, mas não há diretor confirmado.

Bill Murray (que fazia o engraçado Peter Venkman) e Ernie Hudson (que fazia o Winston) já estão confirmados, segundo a produção, mas o próprio Murray já disse que não chance de ele interpretá-lo novamente. Signoury Weaver parece estar negociando duro, mas Akroyd afirma categoricamente que, quando as filmagens começarem, ela estará junto. Não encontrei nada na mídia ainda que confimr se Rick Moranis (o atrapalhado Louis) ou se Annie Posts (a secretária Janine) estarão no elenco - acho bem provável.

A ideia de fazer a sequencia é antiga... muito foram os boatos. Em 2007 falaram até em rodar como animação digital. O que saiu por enquanto é que terá uma nova geração de caça-fantasmas... a boataria em Hollywood é forte, principalmente entre atores da geração que pegou o 1º Ghostbusters nas telonas. Parece que Ben Stiller (de Entrando Numa Fria), Jack Black (de Escola de Rock) e Seth Rogen (de Pagando bem, que mal tem?) têm grande possibilidades de estrelarem a nova geração.

A previsão é que o filme saia em 2012... por enquanto fiquem com os trailers do 1 e 2... para conhecimento ou para matar saudade

Até a próxima.

João Colombo.

20 de abril de 2009

Quem Quer Ser um Milionário? (Slumdog Milionaire, 2009)


O título do filme em português - Quem quer ser milionário? - faz relação há um programa na Índia, estilo Show do Milhão, mas não faz jus à história. Jamal Malik (personagem de Dev Patel) não faz questão se tornar milionário... queria apenas estar no programa. Desta vez não vou contar o filme, porque o legal dele é justamente a amarração. Só uma sinopse:

Jamal Malik é um garoto pobre, fruto das favelas indianas - muito parecidas com as nossas do Rio. Interrogado e torturado pela polícia, ele conta como sabia as respostas que o levaram a ganhar o direito de participar da última pergunta do programa "Who wants to be a millionaire?", cuja resposta o tornaria um milionário! A surpresa do inspetor de polícia é o relato do garoto, onde percebe a veracidade, ele tirava as resposta das suas vivências até aquele momento.

Agora por quê e como ele entrou no programa, eu deixo pra quem assistir o filme descobrir.

Vale muuuito a pena conferir. Realmente mereceu o Oscar. Mostrou que ótimos e belos filmes ainda podem ser feitos com poucos recursos e atores desconhecidos... e o mais legal convencer A academia.

Até a próxima.

18 de fevereiro de 2009

O Curioso Caso de Benjamin Button (The Curious Case of Benjamin Button, 2008)

Hollywood ainda é admirável. Sinto que, na última década, os grandes estúdios vem fazendo filmes à moda antiga, sem frescura, principalmente a partir da segunda metade da década de 2000, o Cinema norte-americano (limito-me a falar sobre Hollywood) tem produzido filmes grandiosos para as grandes telas, emocionantes, com ótimos roteiros, histórias fantásticas. Arrisco dizer que parece estar tentando copiar o estilo europeu.

"O Curioso Caso de Benjamin Button" se encaixa bem nessa categoria, que se caracteriza por uma despreocupação com a duração do filme, no estilo "... E O Vento Levou...". São longas tomadas, e cenas que exigem uma atenção maior para o que é dado pelos diálogos, mais do que pela cena (movimentos) em si.

O filme chega a ser um pouco monótono, mas tem ótimas pitadas de humor que não deixam cansá-lo, abrindo espaço para reflexão: como seria bom passar o tempo e ficar mais forte, belo e sábio! Na vida real, parece não ser possível, não por muito tempo, unir os três conceitos.

O filme conta a história de Benjamin Button (Brad Pitt) que nasceu com todos os aspectos de uma pessoa idosa, no fim da vida, incluindo a pele toda enrugada. Sua mãe morre no parto e pede para que o pai cuide dele... o pai se assusta com a criança e o deixa na porta de um asilo (!). A enfermeira do local pega o pequeno Benjamin para si e o cria como filho adotivo.

Desde pequeno ele se acostuma com o ir e vir das pessoas: elas chegam velhas e saem mortas... isso lhe traz certa segurança, pois como ele tem aspecto de velho, todos acham que ele é só mais um ali. O curioso é que à medida que o tempo passa ele fica mais jovem e mais forte, só que com a mentalidade de uma pessoa que está amadurecendo... quando "adolescente" todos acham que ele tem uns 75 anos, mas ele resolve sair para o mundo, se aventurar, trabalhar, namorar...

... ele chega a se casar com a sua amiga de infância, Daisy (Cate Blanchett), que só adulta entende o que acontece com ele, pois quando criança, também achava que ele era um velho. Juntos, eles tem uma filha e o drama fica sério quando Benjamin se dá conta que ele só vai ficar mais novo, que talvez sua filha não entenda e que sua mulher terá de cuidar de duas crianças.

Os efeitos visuais, a fotografia são ótimos, mas a construção do personagem por Brad Pitt é admirável. Vale muito a pena conferir.

Até a próxima.

Receba no seu e-mail - Cadastre-se!

Mais Lidos do blog